0

WOW - Eu não tenho linguagem de programação de estimação

Josué Oliveira
Josué Oliveira

Série : Eu não tenho linguagem de programação de estimação. Ep 1 - De Junio a Pleno


Olá campeões!


Sendo logo pragmático...alguns dias atrás, em uma das lives da DIO, uma moça usou mais ou menos a seguinte frase: “...eu não tenho linguagem de programação de estimação!” EU GOSTEI MUITO DESSA FRASE! Noooossa, achei fantástico esse posicionamento. 

Então vamos lá. É isso mesmo, ou é mais ou menos isso mesmo?.... DEPENDE do receptor, de como está o mindset dele. Mas lembre-se, tudo pode ser treinado, aperfeiçoado, lições aprendidas e iniciativas com finais conclusivos.

O mundo não é estático, muito menos o mercado local, nacional, internacional ou a federação unidas de planetas. (risos).

Depende, depende, depende, depende...de uma conjuntura INICIAL para você entender, entrar decidido, ficar bom/excelente no que iniciou e ser conclusivo. 

Em se tratando de linguagem de programação(vamos deixar stacks para outro dia), todos os paradigmas foram criados(descobertos) entre 1958 a 1968. Nas décadas seguintes até hoje, nenhum outro surgiu. Palavras de Robert C. Martin em seu livro Arquitetura Limpa.

Então, não existem MODINHAS para o tema acima!

Sou do tipo que aprovo pular fases sim, mas depois que dominamos algum ciclo primeiro, aí no próximo ciclo ou ciclos, podemos pular fases!...mas só após os FUNDAMENTOS estiverem muito sólidos. Não permita(para os iniciantes), os fundamentos ficarem sólidos só depois de um ou dois ciclos. Se você permitir isso, sua jornada vai ser muito dolorida e possivelmente não conclusiva. 

Os ciclos mencionados, são as linguagens, paradigmas, stacks e etc.

Mas quais são os fundamentos? 

São muitos! Geralmente vem a palavra “fundamentos” antes do assunto. (risos)


Como episódio 1, vou deixar minha sugestão:


  • Lógica de programação;
  • Entenda o paradigma ou paradigmas de sua linguagem;
  • Faça sua experiência - Pegue os problemas do seu cotidiano e crie uma solução. Aqui, você treina, evolui, erra e aprende (consertar) os dois itens anteriores sem consequências pessoais ou institucionais. O mercado está até mais tolerante nos dias de hoje, mas nem tanto assim.


Entenda, isso não é bobagem. Já vi “grandes” DEVs entenderem muito das tecnologias (Stacks) e se perderem nos fundamentos.


O melhor algoritmo (linguagem e CIA) é o que resolve o problema. 


Sobre o Episódio 2 - A dança das linguagens, bibliotecas e frameworks e a importância de quem está por trás.


Sucesso a todos.                             



0
0

Comentários (1)

0
Amanda Almeida

Amanda Almeida

07/07/2021 09:28

(risos)

É verdade Josué, depois que voce tem uma base sólida, pular de fase é mais tranquilo, afinal, a base continuará a mesma, vai depender apenas do mindset do programador e de seu posicionamento perante a situação que estiver vivendo.

Entretanto, caso voce esteja iniciando, seria bom não ficar pulando de linguagem em linguagem, pois provavelmente tornará seu desenvolvimento mais lento e como voce disse doloroso (risos), entendo bem essa parte.

Evangelista de TI

Brasil