0

Você já ouviu falar em OKR?

Anderson Nunes
Anderson Nunes

O OKR (Objectives and Key Results), é uma metodologia adotada pelo Google e outras empresas. É uma forma de abordagem de alinhar expectativas e criar engajamento com base em metas mensuráveis.

 

Mas afinal, qual a principal diferença entre OKR e alguns métodos tradicionais?

 

A principal diferença tem a ver com seus processos, que são extremamente rápidos e simples, e com isso envolvem diretamente a criatividade e a perspectiva de cada equipe, são redefinidos e reavaliados com frequência, na maioria das vezes de forma trimestral. Seu principal objetivo é fazer com que todos na organização tenham suas prioridades definidas de maneira clara, constante e andem na mesma direção.

 

O conceito de OKR foi originado na Intel e rapidamente se espalhou para outras empresas do famoso Vale do Silício, entre elas o Google como já foi citado, que aprovou em 1999 durante seu primeiro ano de vida a utilização desta metodologia, saltando de 40 funcionários para mais de 60.000 atualmente.

 

Mas ela não é restrita apenas a empresas de Tecnologia, outras empresas que também usam essa metodologia são: Spotify, Twitter, Linkedin, Airbnb, Walmart, The Guardian, Viva Real e Locaweb.

 

Vamos conhecer quais são os componentes da OKR?

 

Fórmula de Metas de Doerr (John Doerr é considerado um dos investidores em tecnologia mais assertivos de todos os tempos. Investiu em empresas como Google e Amazon, não é preciso dizer mais nada, não é mesmo?)

 

Doerr criou uma fórmula usada para medir e estabelecer metas:

Eu vou (realizar algum objetivo) medido por (conjunto de OKRs usados)

 

Resumindo, para realizar uma meta é preciso listar o que você vai fazer e como você vai medir esse resultado. É essa “medição” que vai criar uma meta real e tangível, sem isso sua meta passa a ser um simples desejo de realizar algo.

 

Então o OKR possui basicamente 2 componentes:

- O: Objetivo, que são as descrições do que você deseja alcançar, feitos de forma simples, objetiva, mas inspiradores e envolventes, para assim gerar engajamento e motivação.


- KR: Key Results, que são as métricas ou a forma de medir os resultados atingidos e seu progresso em direção a esse objetivo. Para cada objetivo, você deve ter no máximo entre 2 e 5 resultados (key results), um número maior que esse e você poderá não se lembrar deles e todos devem ser quantitativos e mensuráveis.

 

De acordo com Marissa Mayer, ex VP do Google:

“Se não tem número, não é um Key Result”.

 

Vejamos um exemplo de como aplicar isso:

 

Supondo que o nosso objetivo seja “Oferecer uma experiência incrível ao cliente”. A ideia é ótima, mas, como podemos saber se realmente a experiência do meu cliente foi incrível? Medindo o resultado.

 

Afinal, como podemos medir se estamos conseguindo proporcionar ao cliente uma experiência incrível? Poderíamos usar por exemplo o Net Promoter Score (uma métrica de lealdade que mede o grau de lealdade dos clientes de empresas de qualquer segmento, com base na experiência e satisfação dos clientes) e a Taxa de Recompra. Ou seja, nossos clientes estão satisfeitos com o consumo de nossos serviços ao ponto de nos indicar/recomendar para outras empresas ou comprar/consumir novamente?

 

Sim, é uma forma, porém fazer apenas isso pode gerar a sensação de que está tudo ok, mas nem sempre isso é verdade. Isso nos faz querer fazer o cliente feliz de qualquer jeito, sem pensar no investimento necessário para isso. Assim, precisamos pensar em indicadores como CAC ou Custo de Aquisição do Cliente, muito usado por exemplo em campanhas digitais como Google Ads, onde você mede o investimento realizado na publicidade digital x o retorno do investimento (ROI). Então precisamos equacionar isso, de maneira a deixar nossos clientes felizes e satisfeitos e manter os custos sob controle.

 

Desta maneira teríamos algo assim:

 

Objetivo: Oferecer uma experiência incrível ao cliente

 

Key Results:

- Melhorar o Net Promoter Score de X para Y

- Aumentar a Taxa de Recompra de X% para Y%

- Manter o CAC abaixo de X%


Essa é uma das formas de realizar o OKR.


Agora vamos pensar no seguinte cenário:

Considere uma equipe que deseja aumentar o engajamento através de um serviço digital:

Objetivo: Encantar os clientes para aumentar o engajamento

 

Key Results:

 - Reduzir o cancelamento de receita de X% para Y%

- Aumentar o Net Promoter Score de X para Y

- Melhorar a média mensal de usuários no site por usuário ativo de X para Y

- Aumentar o tráfego orgânico de X para Y

- Melhorar o engajamento (aí pode ser o preenchimento de um form para captação de leads, baixar um app, um pdf, ver um vídeo etc.) de X para Y

 

Perceba que estes 2 exemplos permitem criar um conjunto de OKRs saudável, sustentável e, principalmente, possível de se alcançar de forma orgânica e não com um incremento de verba de publicidade ou marketing.

 

O mais legal é que desta forma os OKRs permitem que mais de uma equipe utilize o mesmo objetivo, porém com Key Results diferentes. Isso permite que cada time faça ajustes e possa adaptá-lo de acordo com as suas necessidades, gerando diferentes versões. Porém, é preciso ficar atento a alguns conceitos centrais:

 

Metas Ágeis

Os OKRs usam uma abordagem do tipo ágil, com ciclos curtos, permitindo às empresas a se adaptarem e realizar mudanças, na maioria das vezes de forma trimestral.

 

Simplicidade

Os OKRs precisam ser simples e fáceis de entender, para reduzir o tempo gasto em definir as metas e trazer como resultado disso maior agilidade e investir tempo e recursos para atingir os objetivos e não para defini-los.

 

Transparência

Como já dito anteriormente, o OKR cria alinhamento, ou seja, faz todos andarem na mesma direção para atingir um objetivo. Para isso, todos dentro da organização têm acesso aos OKRs de todo mundo, inclusive do próprio CEO da empresa.

 

Ritmos de OKRs diferentes

Com o OKR podemos compreender que estratégia e tática têm seus próprios tempos e que são diferentes, considerando que a tática pode mudar de maneira muito mais rápida e, para isso, adota tempos diferentes podendo ser divididos em semanal, trimestral ou anual.

 

Semanal – Mais operacional, usada para acompanhar resultados ou iniciativas

Trimestral – OKRs de curto prazo para as equipes

Anual – OKRs de longo prazo e alto nível para a organização

 

Definição Bidirecional de Metas

Diferente dos métodos tradicionais de abordagem em forma de cascata, que consomem muito tempo e não geram valor, o OKR usa uma abordagem simultânea, do tipo bottom-up e top-down, permitindo que as equipes entendam de maneira mais clara como podem contribuir para a estratégia de negócio. Neste modelo, 60% dos OKRs são os times que definem, criando engajamento e permitindo melhor entendimento estratégico, tornando o processo mais ágil e simples.

 

Metas Ambiciosas

No OKR, se a empresa está sempre alcançando 100% das metas, é porque elas são muito fáceis. Por isso, ela estimula a empresa a ter metas mais audaciosas e estimula as equipes a terem metas mais desafiadoras, fazendo o time repensar sua forma de trabalhar para atingir o máximo de desempenho.

 

Desacoplar Recompensas

Separar OKRs de remuneração ou recompensas é essencial para atingir metas audaciosas. Os funcionários precisam saber que eles não vão perder dinheiro se definirem uma meta que seja agressiva e não a atingirem. É muito difícil você querer se envolver em algo ambicioso quando tem boletos para pagar e corre o risco de ter uma perda financeira.

 

4 erros comuns na hora de criar OKRs:


- Interpretar a OKR como uma lista de tarefas

Você precisa compreender e medir se o que você está entregando gera valor e não apenas se está sendo entregue. Existe uma diferença entre entrega de valor e de atividade e você precisa saber de forma clara qual é.

 

- Criar muitas OKRs

Esse erro acaba sendo uma consequência do mal entendimento do primeiro. Você precisa estar focado, mesmo quando usa OKRs com base em valor, lembre que os OKRs são a definição de suas prioridades no trimestre.

 

Não Alinhar as OKRs

Lembre-se, você precisa conversar com as outras equipes, o OKR é usado para alinhar objetivos e não para ser usado de maneira individual ou isolada.

 

- Set it and Forget it

Os OKRs precisam ser acompanhados de forma constante, senão você não conseguirá atingir seus objetivos.

 

Como posso escrever bons OKRs?

 

  • Faça objetivos simples, curtos e fáceis de lembrar. Se você precisa fazer uma pausa para lembrar o que foi escrito, está tudo errado, pare e comece de novo.

 

  • Os Objetivos precisam estar alinhados à cultura da empresa, podendo até mesmo ser divertidos, usar gírias, piadas internas e outros artefatos, desde que esteja de acordo com as regras da empresa.

 

  • Separe as métricas das tarefas, cada coisa no seu devido lugar.

 

  • Defina no máximo 5 Key Results por Objetivo.


Por hoje é só pessoal, espero que tenham gostado do conteúdo, grande abraço!


0
1

Comentários (0)

Atuo como QA Ruby / Java. Apaixonado por tecnologia, jogos e por aprender e compartilhar conhecimento.

Brasil