0

Você ja ouviu falar do GitHub Desktop?

#GitHub
Patrick Menezes
Patrick Menezes

O GitHub Desktop é uma ferramenta simples do GitHub que permite operar repositórios sem o uso de comandos.


O GitHub é uma plataforma essencial pra todos os programadores, pois nele podemos colocar nossos repositórios e interagir com a comunidade.


E como todos sabem o Git, ferramenta em que armazenamos localmente nosso repositório antes de jogá-lo no GitHub, é muito importante e indispensável para nós, pois através dele podemos controlar as versões de nossos projetos e operá-los de forma dinâmica e mais eficiente.


Porém, um dos grandes problemas do Git, é o uso de comandos para operar os repositórios; para quem tem um conhecimento mais aprofundado na programação, isso não é um problema, principalmente se você for um usuário de Linux; porém para os iniciantes, que querem "pushar" o seu repositório sem muita complicação e dor de cabeça, existe essa dádiva celestial chamada GitHub Desktop que veio para acalmar os corações dos nossos queridos novatos.


Sem mais enrolação, vamos dar as mãos e nos aventurar nessas terras desconhecidas.


De início, preciso avisar que essa ferramenta originalmente só está disponível para os sistemas Windows e Mac OS; existe um repositório no GitHub que permite usar o GitHub Desktop no Linux, mas acredito que não convém eu trazer esse meio alternativo aqui porque convenhamos, se você já usa Linux você não vai ter problema em usar comandos para operar o Git.


Para baixar você acessa o site https://desktop.github.com/ e logo de inicio você tem a opção de download.

Após baixar e vincular sua conta do GitHub, você vai se deparar com a seguinte interface:

Logo de cara pode se observar as seguintes caracteristicas:

na barra de ferramentas, existe as opções file, edit, view, repository, branch e help.

  • File: é onde você pode criar novos repositórios, adicionar um repositório local ou clonar um repositório (além das opções de configuração do aplicativo, é claro).
  • Edit: é onde você pode fazer as operações e ajustes do repositório, como desfazer ou refazer uma ação, cortar, copiar, colar... enfim, operações básicas.
  • View: local em que você pode fazer operações de visualização do repositório, como ver as mudanças, o histórico, e dar zoom, por exemplo.
  • Repository: Estão as operações do repositório (duh), nesse local você pode fazer o push, o pull, remover um repositório e outras ações relacionadas a ele.
  • Branch: como o próprio nome diz, é onde você opera os branchs, podendo criar novos ou ajustar/remover branchs existentes, além de algumas outras ações, como poder comparar os branchs e dar merge, por exemplo.
  • Help: basicamente é a sessão de suporte.


Agora que já verificamos a barra de ferramentas, vamos dar continuidade a análise das possibilidades de uso do GitHub Desktop. Primeiro, vou criar um repositório para demonstração. Para criar um repositório você vai em file, e depois new repository.


Ao clicar nessa opção, você tem a opção de fazer os ajustes necessários para criar um repositório, colocando nome, descrição, o local onde o repositório local se encontra na sua máquina, a opção de inicializar com um arquivo README, o git ignore (caso queira) e a licença que vai utilizar.


Para fins didáticos, eu criei um repositório de exemplo. No caso, como eu acabei de criar o repositório, o commit ja foi direto, como você pode visualizar lá em baixo. Sendo assim, eu posso publicar o meu repositório logo. E como você pode ver no histórico (local onde mostra as mudanças que você ja fez no repositório), ele já cria o repositório com o .gitattributes, a licença (caso tenha escolhido uma) e o README (caso tenha selecionado a opção).


Após clicar em criar um repositório, aparece essa tela, em que você escolhe o nome que você quer dar para o repositório no GitHub, a descrição, e se você deseja manter o repositório privado ou não.


Após publicar o repositório, eu criei um algoritmo simples em Python, com um Hello World, e ao criá-lo, aparece como está na imagem abaixo que houve mudanças no repositório, e além de apresentar qual foi a mudança, ele permite que eu possa commitar a mesma.


Após commitar, aparece a possibilidade de fazer um push para o repositório remoto.


Agora, falando sobre branchs, clicando em branch, você tem a opção new branch, em que você pode criar uma branch nova.


Ou então você pode criar em current branch. No current branch você pode visualizar todas as branchs do seu repositório e pode alternar entre elas.


Após selecionar a branch de exemplo, eu fiz uma alteração no meu código, e adicionei uma variável nome com um input pra acrescentar o nome, e em seguida um print da variável mostrando o nome da pessoa. Caso publique a branch, aparece a opção de criar um pull request.


Após concluir a branch, se quiser dar um merge entre ela e outra branch (no caso do exemplo é a main), clique novamente em current branch, e selecione a main; em seguida, vá lá no final e clique em choose a branch to merge into main.


Ao clicar na opção, você vai se deparar com essa tela. Nela você seleciona a branch que deseja dar merge, e clica na opção create a merge commit.