4

Sucesso além da programação

#Desperte o potencial
Ian Souza
Ian Souza

Meu interesse no ramo de TI começou, como muitas pessoas, com jogos. Meu aprendizado consistia em tentar craquear The Sims, AOE e Roller Coaster Tycoon.


Fucei tanto no Windows 98 da minha tia que semana sim, semana não, o computador ia parar no conserto. Eventualmente me formei como técnico e passei a fazer o serviço para ela de graça. The life snakes.


Até eu resolver que não gostava mais disso e tirar um sabático de 10 anos. Fui para outro país. Me formei em literatura. Vivi como músico e babá.


E agora, como vou recomeçar como programador? Enquanto me reintroduzo nessa área, vejo que as coisas estão um pouquinho diferentes desde aquele Windows 98.


Aqui vão algumas verdades que aprendi fora do ramo, as quais me agarro com toda força, e acredito que também poderão lhe ajudar.



Soft skills matter


A maior comunalidade entre profissionais de sucesso não é QI, um alto WPM em digitação e certamente não é beleza.

As habilidades mais citadas de profissionais de sucesso são todas as coisas que você faz enquanto não está escrevendo seu código: empatia, resolução de conflito, trabalho em equipe, se você consegue fazer um macarrão instantâneo em menos de 3 minutos, resiliência... (1, 2, 3)


Seu Lámen à parte, é trabalhar bem com pessoas que vai lhe dar o empurrão final ao se tornar um profissional de sucesso. Infelizmente não há um bootcamp em como se tornar uma pessoa mais resiliente. E nem todos os tutoriais da internet poderão lhe ensinar a praticar empatia. Você precisa trabalhar nestas por si só.


Como? Da mesma forma que você refina suas habilidades como programador – refine suas habilidades como ser humano. Escute mais, leia mais, trabalhe em si mesmo.


O que você faz enquanto melhora suas linhas de código é seu dever de casa.


Ao lidar com pessoas, com profissionais, demonstre (o máximo que você puder) que vocês estão ali para atingir um objetivo comum e que este não é ser melhor do que o outro.


Ainda sou jovem, mas vivi tempo o suficiente para saber que eu sempre vou precisar da ajuda de outras pessoas. Eu faço e respondo perguntas, doo meu tempo e tento escutar ao invés de esperar minha vez de falar. It ain't much, but it's honest work...


Vai dizer que, quando sua vez de ler o próximo parágrafo em voz alta na sala de aula estava chegando, você não ficava praticando o mesmo, em silêncio, ao invés de escutar o que seus colegas estavam lendo?


O mercado não funciona assim — pelo menos não se você quer ser um profissional de sucesso. Tente reconhecer e aprender mais sobre suas soft skills, no que você é bom(a) e o que você precisa melhorar.


Quer começar bem? Leia 12 Regras Para a Vida, Jordan Peterson.



A hora de começar é agora


Tentando mudar de carreira, vendo a competição de 15, 16, 17 anos de idade, ainda nem começaram uma faculdade e já estão sabendo mais do que você.

 

E eu também. Eu sei. Estamos no mesmo barco.

 

Pode parecer assustador tentar dar início a uma carreira de desenvolvedor quando pessoas mais novas do que você, com mais energia que você, já estão anos-luz à sua frente nesse campo.

Se você tem 30 anos de idade (como eu) ou mais, pode parecer que você está tempo demais atrás da competição.


Porém, se você começar hoje, você ainda estará n anos à frente de quem ainda não começou. Incluindo você mesmo(a).


10 anos atrás nós não tínhamos uma plataforma como a DIO. Hoje temos. Preciso falar mais? Tá esperando o quê para fazer acontecer?



Outros programadores são, sim, seus competidores: 1% do tempo


Uma das características que mais me agrada no ramo de programação é essa camaradagem entre quem sabe mais e quem sabe menos. Você não encontra isso em Wall Street ou na política. Talvez seja por isso que é um dos ramos que mais cresce no mundo hoje.


99% do tempo, os outros programadores estão dispostos a lhe ajudar. Mas não espere aquela mãozinha quando descobrir que vocês dois estão competindo pela mesma vaga em uma FAANG.


O mercado de trabalho não é uma comunidade linda e florida onde todo mundo se ajuda e ri e aprende junto (como a DIO é). O mercado de trabalho é a sessão de comentários do Youtube em um vídeo contraditório. É um grupo de trolls do Reddit. É o cachorro do vizinho que tanto lhe assusta que você atravessa a rua ao passar na frente da casa.


Ao ingressar no mercado, ao competir por uma vaga, você vai precisar ser casca grossa.


Isso não significa que você precisará apunhalar o parceiro coder nas costas para conseguir aquela vaga. Mas você vai precisar se elevar à ponto de mostrar que pode fazer melhor que ele — não para a queda dele, mas por você mesmo(a).


Jogo é jogo, treino é treino. Não deixe que sua síndrome do impostor minimize suas habilidades como profissional e como pessoa. Todos nós temos aquele momento de dúvida, aquele momento passivo, onde é melhor não enfrentar os desafios do que sair machucado(a).


A forma que mais funcionou para mim, ao correr atrás de algo competitivo, foi aprender que só você pode fazer por você. Uma ajudinha é sempre bem-vinda, porém não sempre presente.

Comece solidificando suas qualificações e, quando for demonstrá-las, o faça sem medo.

 

Recomendo assistir este TED. Se ainda não o viu, pode lhe ajudar muito em futuras interações profissionais.



Networking é, e sempre será, sua melhor linguagem de programação


Eu falei sobre soft skills e também sobre competição. Pode parecer meio contraditório, mas o mercado de trabalho não é uma sala de aula, todos temos que aprender a lidar com a incerteza e volatilidade do mundo.


Se eu tivesse que apontar uma única coisa que mais me ajudou a ter oportunidades e alcançar objetivos, esta seria: pessoas.


Já me beneficiei muito ao deixar o colega copiar minhas respostas no exame final, para 2 anos depois ele me deixar morar na casa dele por algum tempo. Ao cuidar do cachorro da conhecida enquanto ela viajava para ela me arrumar um emprego onde trabalhava. Ao ensinar inglês para o amigo enquanto ele me ensinava programação. Até a me safar de uma treta no caminho de casa pois o morador de rua, para o qual eu comprava marmitas, me acompanhou até a porta de casa enquanto dois marmanjos mal encarados me seguiam na mesma calçada.


Não estou dizendo que você precisa fazer network com moradores de rua (mas os alimente sempre que puder), somente que o mundo é pequeno e você não quer descobrir isso ao encontrar aquela pessoa que você zoou na escola como o(a) entrevistador(a) da vaga onde aplicou.


Aplique suas soft skills a todo momento, mas não seja soft. Se você for firme o suficiente (sem ser tirânico(a)), as pessoas o(a) respeitarão por isso. Falar a verdade em um feedback não significa que a pessoa irá lhe odiar — ou pelo menos não deveria. E não odeie os outros por isso.


Continue trabalhando e melhorando suas capacidades técnicas, mas não se esqueça que isso é só uma parte do seu sucesso futuro. Conte com as pessoas — é surpreendente o que elas estão dispostas a fazer por você se você somente pedir — e deixe que elas contem com você. Qualquer coisa diferente disso é viver em uma bolha e, honestamente, já estamos cansados disso, né?


PS.: não coloque no seu currículo que você consegue fazer miojo em menos de 3 minutos a menos que você esteja se candidatando a cozinheiro(a) no China in Box.


Boa sorte na sua carreira!

6
91

Comentários (6)

0
Ian Souza

Ian Souza

23/03/2021 11:43

Muito obrigado Flávio!

Realmente a didática faz toda diferença quando estamos aprendendo, especialmente uma disciplina nova e tão colossal quanto desenvolvimento de software.

Você está fazendo o certo. Aprender é uma maratona, né, e não uma sprint. Força na peruca aí irmão! Desejo a nós muita força e perseverança nessa jornada.

Abraço!

0
Flávio Silva

Flávio Silva

23/03/2021 10:43

Olá @Ian Souza, obrigado pela contribuição.


Estou aprendendo a desenvolver aplicativos Android através do bootcamp da Everis aqui na DIO e em paralelo estou fazendo outro curso mais detalhado. Enfim, concordo com suas palavras, acredito que desenvolver software vai muito além da programação e envolve toda uma gama de pessoas e habilidades. Acho que temos que nos esforçar para sermos o melhor de nós mesmos e ajudar as pessoas.


Eu fico muito frustrado quando quero aprender algo mas o professor que esta "ensinando" não tem uma metodologia de ensino adequada. Não estou dizendo que quem esta ensinando precisa ser um Mestrado ou Doutor na área, o que eu quero dizer é que a pessoa tem que saber explicar os conceitos de forma que ate uma criança entende. O mais dificil da programação são os conceitos, não a programação em si, e quando a pessoa começa a falar de conceitos ao mesmo tempo que coloca um monte de códigos na tela, fica muito dificil de compreender tudo.


Enfim, vou estudando um pouco por dia e com o decorrer do tempo, as coisas ficam um pouco mais fáceis, ou menos difíceis rs mas eu continuo em frente.


Abs.


Flávio Silva

0
Ian Souza

Ian Souza

23/03/2021 09:19

Olá María :) o que você está aprendendo aqui na DIO?

0
Ian Souza

Ian Souza

23/03/2021 09:17

Obrigado Lucas! Espero que tenha sido útil.

Você também é um desenvolvedor mais velho ou já decidiu e seguiu sua carreira mais cedo?!

1
M

María Farias

23/03/2021 09:09

Olá

1
L

Lucas Amaral

23/03/2021 09:09

Muito bom!

I'll code for fun until I can code for money. Then I'll code for fun AND money.

Brasil