11

🕵🏽‍♂️👩🏻‍💻SÍNDROME DO IMPOSTOR: antes de pensar em DESISTIR, faça o teste. ✍️

Thiago Guedes
Thiago Guedes
A síndrome do impostor, também chamada de pessimismo defensivo, é uma desordem psicológica. E apesar de não ser classificada como doença mental, é bastante estudada, sendo que estes estudos se intensificaram na era digital.
Os sintomas manifestados costumam ser os mesmos sintomas que também são encontrados em outros transtornos como depressão, ansiedade e baixa autoestima, por exemplo.

É muito comum em pessoas que têm profissões competitivas: atletas, artistas e empresários ou em profissões nas quais as pessoas são avaliadas e testadas a todo momento, como nas áreas da saúde, tecnologia e ensino, e costuma atingir as pessoas mais inseguras e que internalizam críticas e falhas.

Síndrome do impostor: o que é, como identificar e o que fazer


Porém qualquer pessoa pode desenvolver esta síndrome, e em qualquer idade, sendo mais comum quando se está em uma posição de ser alvo de julgamentos do desempenho, como ao receber uma promoção no trabalho ou iniciar um novo projeto.


Síndrome do Impostor


Como identificar?


Segundo profissionais da área, pessoas que sofrem síndrome do impostor geralmente apresentam 3 ou mais dos seguintes comportamentos:


1. Necessidade de se esforçar demais


A pessoa com síndrome do impostor acredita que precisa se esforçar em excesso, muito mais que as outras pessoas, para justificar as suas conquistas e por achar que sabe menos que os outros. O perfeccionismo e o excesso de trabalho são utilizados para ajudar a justificar o desempenho, mas causa muita ansiedade e esgotamento.


2. Auto-sabotagem


Pessoas com esta síndrome acreditam que o fracasso é inevitável e que a qualquer momento alguém experiente irá desmascará-lo na frente dos outros. Assim, mesmo sem perceber, pode preferir se esforçar menos, evitando gastar energia para algo que acredita que não dará certo e diminuindo as chances de ser julgado por outras pessoas.

3. Adiar tarefas


Estas pessoas podem estar sempre adiando uma tarefa ou deixando compromissos importantes para o último momento. Também é comum levar máximo de tempo para cumprir estas obrigações, e tudo isso é feito com o objetivo de evitar o momento de ser avaliado ou criticado por estas tarefas.


4. Medo de se expor


É comum que as pessoas com a síndrome do impostor estejam sempre fugindo de momentos em que podem ser avaliadas ou criticadas. A escolha de tarefas e profissões são, muitas vezes, baseadas naquelas em que serão menos perceptíveis, evitando ser alvo de avaliações.
Quando são avaliadas demonstram grande capacidade de desacreditar as conquistas obtidas e os elogios de outras pessoas.


5. Comparação com os outros


Ser perfeccionista, exigente consigo mesmo e estar sempre achando que é inferior ou sabe menos que os outros, a ponto de tirar todo o seu mérito, são algumas das principais características desta síndrome. Pode acontecer de a pessoa achar que nunca é boa o suficiente em relação aos outros, o que gera muita angústia e insatisfação.


6. Querer agradar a todos


Tentar causar boa impressão, se esforçar no carisma e necessidade de agradar a todos, a todo o momento, são formas de tentar alcançar aprovação, e para isso pode até mesmo se sujeitar a situações humilhantes.
Além disso, a pessoa com síndrome do impostor passa por períodos de muito estresse e ansiedade por achar que, a qualquer momento, pessoas mais capacitadas irão substituí-la ou desmascará-la. Assim, é muito comum que essas pessoas desenvolvam sintomas de ansiedade e depressão.


Síndrome do impostor: o que é, como identificar e o que fazer


O que fazer?


No caso de serem identificadas características da síndrome do impostor, é importante que a pessoa realize sessões de psicoterapia para ajudar a pessoa a internalizar suas capacidades e competências, diminuindo a sensação de ser uma fraude. Além disso, algumas atitudes podem ajudar a controlar os sintomas desta síndrome, como:


  • Ter um mentor, ou alguém mais experiente e confiável para quem possa pedir opiniões e conselhos sinceros;
  • Compartilhar as inquietações ou angústias com um amigo;
  • Aceitar os próprios defeitos e qualidades, e evitar se comparar ao outros;
  • Respeitar as próprias limitações, não estabelecendo metas inalcançáveis ou compromissos que não possam ser cumpridos;
  • Aceitar que as falhas acontecem a qualquer pessoa, e procurar aprender com elas;
  • Ter um trabalho de que goste, proporcionando motivação e satisfação.
  • Realizar atividades capazes de aliviar o estresse e a ansiedade, que melhorem a auto-estima e promovam auto-conhecimento, como yoga, meditação e exercícios físicos, além de investir em momentos lazer são muito úteis para o tratamento deste tipo de alteração psicológica.

Você não está sozinho

Se você já se sentiu assim, respira, não pira!

Estudos indicam que aproximadamente 70% das pessoas experimentam esses sentimentos em algum momento de suas vidas!


Quando começou a ser estudado, o fenômeno era relacionado a mulheres. Pesquisas atuais mostram que homens também apresentam o comportamento. A posição da mulher no mercado, porém, pode intensificar o sentimento:
A gente ganha menos e tem que provar mais o quanto sabe. Se você é sempre questionada, essa sensação pode aparecer mais forte, diz Uvaldo.


A desenvolvedora Caroline Soares diz que ser mulher na área de tecnologia —uma minoria— pesa.:
"Existe a obrigação de se provar tecnicamente toda hora, isso atrapalha. Acontece de eu perder oportunidades por não me achar boa o suficiente", diz.
Nessa área, síndrome do impostor é assunto recorrente, diz Cynthia Zanoni, criadora do projeto WoMakers Code, que promove oficinas e debates relacionados a tecnologia.
"Elas acreditam que é preciso saber muito desde o início para conseguir espaço."
Ela mesma quase não concorreu a uma bolsa na faculdade. Na época, achava que os outros candidatos estudariam em escolas melhores e que não tinha o conhecimento necessário, apesar de acumular experiência na área.
Foi uma professora que lhe disse que ela era capaz e que aquela hesitação tinha nome: síndrome do impostor (e, sim, ela conseguiu a bolsa 😁).


A desenvolvedora Caroline Soares num café na região central de São Paulo


Como vencer a síndrome?


Compartilhe seus sentimentos.

Converse com outras pessoas sobre como você está se sentindo. Isso porque essas crenças irracionais têm mais força quando estão ocultas e não são mencionadas.


Ajude os outros.

Embora isso possa parecer fora de foco, tente ajudar outras pessoas na mesma situação que você. Se você encontrar alguém que parece inseguro, ajude. Ao praticar esse poder, você ganhará confiança em suas próprias habilidades.


Avalie suas habilidades.

Se você tem crenças antigas sobre sua incompetência em situações sociais e de desempenho, faça uma avaliação realista de suas habilidades. Assim, anote suas realizações e no que você é bom, e compare isso com sua auto-avaliação.


Dê passos de bebê.

Não se concentre em fazer as coisas perfeitamente, mas faça seu melhor possível no momento e se recompense por agir.


Questione seus pensamentos.

Ao começar a avaliar suas habilidades e dar pequenos passos, pergunte se seus pensamentos são racionais. Afinal, faz sentido que você seja uma fraude, considerando tudo o que sabe?


Pare de comparar.

Toda vez que você se comparar com os outros em uma situação social, encontrará uma falha em si mesmo que alimenta a sensação de não ser bom o suficiente ou não pertencer. Em vez disso, durante as conversas, concentre-se em ouvir o que a outra pessoa está dizendo. Seja genuinamente interessado em aprender mais.


Use as redes sociais conscientemente.

Sabemos que o uso excessivo das redes sociais pode estar relacionado a sentimentos de inferioridade. Portanto, se você tentar retratar uma imagem nas redes que não corresponde a quem você realmente é ou que é impossível de alcançar, isso só piorará seus sentimentos de fraude. Ainda mais que ninguém mostra seu pior ou seus fracassos. Então, o que você está vendo dos outros não é a verdade completa.


Pare de lutar contra seus sentimentos.

Não lute contra os sentimentos de não pertencer. Antes de tudo, tente se apoiar neles e aceitá-los. É somente quando você os reconhece que você pode começar a desvendar as crenças fundamentais que o estão impedindo.


Não permita que a insegurança te paralise.

Não importa o quanto você sinta que não é capaz, não deixe que isso o impeça de perseguir seus objetivos. Continue. Afinal, se você sabe 1% a mais que alguém, você já é capaz de ajudar. Se der medo, vai com medo mesmo!
A ausência do medo (ou pelo menos prudência) é loucura. Ter medo é normal. Afinal, impede que a gente faça coisas completamente suicidas. Porém, deixar de realizar seus sonhos e desejos é um problema de verdade e precisa se encarado.


----------------------------------------------------------------------------------

A professora e palestrante Cristiane Thiel disponibiliza uma autoavaliação que você pode testar-se para mapear traços de comportamentais da Síndrome do Impostor. Faça o Teste Aqui.


----------------------------------------------------------------------------------


Se você se sente um impostor, significa que você já teve algum grau de sucesso em sua vida que está atribuindo à sorte. Tente transformar esse sentimento em gratidão. Em síntese, veja o que você realizou em sua vida e seja grato


Se te ajudei, dê um UP ^ ali do lado esquerdo (marcando como ÚTIL) pra eu saber!

Sempre posto por aqui então me siga pra gente se ajudar e chegar mais longe.
Conte contigo.

Obrigado por tudo, Inovadores!

_____________________________________________________________________________

Outros artigos de minha autoria:

📌 O casamento perfeito: SASS e CSS

📌 O que um iniciante precisa saber para tornar-se um JÚNIOR

_________________________________________________

Fontes:
https://cristianethiel.com.br/sindrome-do-impostor-como-superar/
https://cristianethiel.com.br/teste-a-sindrome-do-impostor/
https://www.tuasaude.com/sindrome-do-impostor/
https://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/carreiras/2018/06/1973286-descubra-se-voce-tem-a-sindrome-do-impostor.shtml
https://www.linkedin.com/in/cristianethiel/
6
214

Comentários (6)

1
Luis Sa

Luis Sa

02/01/2021 19:03

Valeu Thiago, ótimo artigo.

1
José Espedito

José Espedito

03/01/2021 08:15

Eu estava precisando ler isto... tem hora q acho q não vou conseguir. Obrigado.

1
João Gomes

João Gomes

03/01/2021 00:41

Artigo sensacional, obrigado por compartilhar esse conhecimento.

1
Elisio Moura

Elisio Moura

02/01/2021 19:53

Ótimo artigo Thiago Guedes. Parabéns.

1
Davi Pereira

Davi Pereira

02/01/2021 16:58

Show!!

1
Anna Maria

Anna Maria

02/01/2021 16:34

Muito bom Thiago, parabéns 💕

👨‍💻Community Support Analyst at Digital Innovation One && Oracle Academy Member| Já fui vendedor de balinha, modelo e marinheiro.🌠

Brasil