0

Programando em C com GTK - Programando - Meus Primeiros Códigos.

#Linux
D
Danilo Galete

Erar faz parte.

Quando estamos aprendendo algo novo, sempre nos deparamos em algum momento do processo de aprendizagem, com algumas dificuldades. E com isso surgem certas questões: "como posso implementar", "por onde começar", "onde estou errando", "isso não vai", "não da certo", entre tantas outras.

Mas como eu disse ai em cima, "Erar faz parte", opá "Errar faz parte". Sim é verdade, ERRAR FAZ PARTE do processo de aprendizagem, pois se não erramos quer dizer que já temos conhecimento sobre o assunto ou simplesmente não tentamos aprender sobre determinado assunto.

Mas a grande mágica em errar, esta no que vem a seguir. Você pode escolher fazer o caminho mais fácil que as vezes a maioria das pessoas escolhem ir, que é simplesmente desistir e jogar a toalha ou pegar o caminho das pedras, correr atrás e fazer as coisas acontecerem e dar certo, nem que você tenha que queimar uma boa quantidade de neurônios, pronto a mágica tá feita.



O arquivo main.c.

O primeiro arquivo que vamos começar a digitar e aprender um pouco mais sobre ele, é o arquivo main.c, este arquivo na maioria dos projetos GNU/Linux se encontra dentro da pasta src/. Este arquivo é a porta de entrada para o nosso programa, pois é nele que encontramos a função:


 int main(int argc, char * argv[])


Esta é a primeira função a ser executada em um projeto feito em C e uma grande quantidade de programas GNU/Linux costuma ter um arquivo main.c com poucas linhas de código, apenas algumas configurações bem básicas. E este será o nosso arquivo main.c.


#include <glib/gi18n.h>


#include "school-application.h"


int

main (int argc, char *argv[])

{

  g_autoptr(SchoolApplication) app = NULL;


   bindtextdomain (GETTEXT_PACKAGE, LOCALEDIR);

   bind_textdomain_codeset (GETTEXT_PACKAGE, "UTF-8");

   textdomain (GETTEXT_PACKAGE);


  app = school_application_new ();


  return g_application_run (G_APPLICATION (app), argc, argv);

}



Este arquivo será a porta de entrada para a nossa aplicação, podemos ver que ele contém poucas linhas de código porém, muita coisa esta acontecendo. Na primeira linha do programa, estamos fazendo a inclusão da biblioteca de internacionalização "gi18n.h", que juntamente com os arquivos .po que vamos criar será responsável pela tradução da nossa aplicação.

Já na terceira linha estamos incluindo o nosso arquivo "school-application.h", um arquivo que ainda vamos criar em um outro tutorial. Na oitava linha estamos criando uma variável de ponteiro com limpeza automática do tipo "SchoolApplication".

Na décima linha utilizamos a função "bindtextdomain" para definir o diretório base da hierarquia que contém catálogos de mensagens para um determinado domínio de mensagem.

Na décima primeira linha a função "bind_textdomain_codeset", como o próprio nome já diz, ela define o conjunto de códigos de saída para o catálogos de mensagens, no nosso caso o "UTF-8".

Na décima segunda linha temos a função "textdomain" que define ou recupera o domínio da mensagem atual, um domínio de mensagem é um conjunto de mensagens traduzíveis, nossos "msgid" que veremos mais adiante.

Na décima quarta linha apenas criamos uma instância da nossa classe "SchoolApplication". Para tudo, mas C não é orientado a objetos. Calma vamos ver um conceito bem legal de se trabalhar em C, a biblioteca GObject, ai você vai entender melhor o que estou falando.

E por último e não menos importante, temos um return chamando a função "g_application_run", recebendo "app""argc" e "argv", como argumentos.


Bem acho que chegamos ao fim de mais um tutorial e ele contêm bastante informação para absorver, mas como eu disse "Erar faz parte", então ainda vamos erar bastante até vermos nossa aplicação funcionando.

0
13

Comentários (0)

Pai, Analista de Sistema, Desenvolvedor Web Full Stack e Contribuidor Open-Source

Brasil