1

PROCRASTINAÇÃO: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS!

André Azevedo
André Azevedo

PROCRASTINAÇÃO: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS!

Deixar para depois uma tarefa que poderia/deveria ser prioridade e realizar qualquer outra menos importante, mesmo que traga menos realização é algo muito comum e as reais causas disso tudo vão muito além da preguiça. PROCRASTINAÇÃO... Você já deve ter ouvido falar nessa palavra, ou certamente, já sofreu com a mesma.

Essa palavra vem de procrastinare, verbo em latim cujo significado é algo como “deixar para amanhã”, e também deriva de akrasia, palavra grega que quer dizer, mais ou menos, como “realizar alguma coisa contra nosso melhor julgamento”. Quer dizer, causar um mal a si próprio, essa é a percepção sobre o que é procrastinação, o que vai muito além de se deixar a realização de uma tarefa para depois.

O QUE É PROCRASTINAÇÃO?

A procrastinação é quando, intencionalmente, alguém retarda o começo ou a sequencialidade de uma determinada tarefa ao ponto de se sentir arrependido, ansioso e desconfortável com isso, ou seja, não tem nada a ver com preguiça, mas, sim, com sentimentos negativos!

Quero dizer que: a premissa ultrapassada de que procrastinação é derivada da preguiça deve ser abolida, pois, na maioria da vezes, está intrinsicamente ligada à fatores emocionais como ressentimento, frustração, insegurança,

É por esse motivo que ao nos encontrarmos em um “bad day”, tarefas que sempre foram simples no dia-a-dia do trabalho ou nos estudos, tornam-se mais difíceis de se terminar.

É como se um ciclo vicioso fosse gerado, onde quanto mais tempo for gasto com a procrastinação, moires serão essas emoções negativas e, consequentemente, mais alto será o sentimento de que não dará tempo.

MOTIVOS:

É intrínseco ao ser humano a necessidade de pensar nos problemas do momento, mesmo sabendo que é iminente a probabilidade de, futuramente, a realização dessa determinada tarefa possa vir a causar ainda mais sofrimento. Podemos dizer então que, na verdade, a culpa pela procrastinação tem a ver com a própria evolução dos seres humanos.

Considerando-se a teoria behaviorista, que diz que ao sermos recompensados por alguma coisa, tendemos a fazer novamente, tal alívio momentâneo que é sentido ao se procrastinar uma tarefa, torna o ciclo vicioso.



A procrastinação crônica tem efeitos, na saúde mental de uma pessoa, considerados destrutivos. Sintomas da depressão e ansiedade, baixa satisfação/insatisfação e estresse crônico, são alguns dos vários efeitos desse hábito a longo prazo.

Apesar de ser um problema que ainda requer muitos estudos, estima-se que mais ou menos 20% da população mundial, independente de classe social, nível escolar e cultural, é procrastinadora crônica. São indivíduos que têm essa tendência em, praticamente, todas as áreas da vida, como nos estudos, no trabalho, na vida financeira e até mesmo pessoal, ou seja, o assunto é grave e pode causar diversos problemas como demissões, divórcios, problemas financeiros, com autoestima, etc.

Sintomas:

· Adiar as coisas até o último minuto, mesmo você sabendo que isso poderá trazer consequências, algumas vezes até mesmo graves em sua vida.

· Atrasar as tomadas de decisão, muitas vezes até ser tarde demais;

· Deixar as tarefas para o dia seguinte com frequência.

COMO PARAR DE PROCRASTINAR?

Os estudiosos são unanimes em afirmar que, ao contrário do que muitos imaginam, isso vai muito além de lidar melhor com o tempo, pois essa resposta é muito complexa do que parece de se responder.

Dicas:

1. Tornar “inconveniente” a procrastinação

Colocar barreiras entre os métodos usados para desviar a atenção da tarefa principal é uma excelente forma de procrastinar menos. Ou seja, alterar as circunstâncias é bem menos difícil do que mudar a nós mesmos. Por exemplo, se uma pessoa tem a tendência de olhar as redes sociais constantemente, poderia ela colocar uma senha complexa, ou até mesmo, apagar os aplicativos do seu telefone. Assim, a cada vez que tiver vontade de desviar o atenção da sua tarefa principal, terá uma maior dificuldade para isso.

2. Não se culpar:

A produtividade tende a aumentar, pois quando uma pessoa supera o seu comportamento ruim se torna capaz de se concentrar na próxima tarefa sem a culpa que o fez ir mal anteriormente. Por exemplo, estudantes que na preparação para uma prova procrastinaram e perdoaram a si mesmo ao invés de se crucificar tornaram-se capazes de ter um melhor desempenho na preparação para prova seguinte.

3. Considerar sempre sua próxima ação

Foque nas tarefas que terá que realizar em seguida, quando pensar na próxima tarefa como uma simples possibilidade, execute-a, não espere... isso ajuda a acalmar os nervos. Por exemplo, quantas vezes ficamos horas procrastinando assistir uma videoaula e quando começamos acabamos por assisti-la até o final sem nem percebermos o tempo passar e, às vezes, assistimos até outras aulas após o término dela? Quero dizer que, provavelmente uma vez iniciada a ação, a motivação para a concluir torna a tarefa menos difícil do que parece, ou seja, a ação é seguida pela motivação!


Sucesso, para todos... espero que tenham gostado!

Para mais é só me seguir:


LinkedIn:

https://www.linkedin.com/in/andr%C3%A9-morais-de-azevedo-543a59a1/


GitHub:

https://github.com/DeccaSoft


1
60

Comentários (2)

0
André Azevedo

André Azevedo

22/04/2021 21:02

Obrigado, meu chapa... que bom que gostaram!

Também escrevi esses outros dois artigos, bem interessantes, por sinal...


https://web.digitalinnovation.one/articles/por-que-soft-skills-valem-tanto?back=%2Farticles&page=1&order=oldest


https://web.digitalinnovation.one/articles/github-desktop-uma-excelente-aplicacao?back=%2Farticles&page=1&order=oldest

0
Cassiano Nascimento

Cassiano Nascimento

25/03/2021 18:42

Parabéns pelo artigo.

Tem bastante valor.

None

Brasil