0

Para programar máquinas, pense em "Maquinês"

Matheus Tomazi
Matheus Tomazi
Prólogo: Esse artigo foi escrito com o intuito de ajudar iniciantes da programação a aumentar sua capacidade de enxergar as linguagens e códigos de uma perspectiva diferente, o que a meu ver, é uma habilidade essencial para solucionar problemas em qualquer linguagem. Para os não iniciantes, talvez sirva apenas como ponto de reflexão.

Se você está lendo esse artigo, muito provavelmente está também estudando uma linguagem nova, ou aprendendo a utilizar recursos mais avançados de alguma tecnologia que você já conhece. A questão é, para muitos, estudar uma linguagem pode ser relativamente fácil na parte teórica, e muito difícil na hora de codar. Depois de dias refletindo sobre o assunto eu não conclui nada, pois não tenho autoridade para tirar conclusões definitivas sobre isso, mas formei alguns pontos de vista. Agora vou compartilhar esses pontos de vista com vocês.

Para desenvolvedores, programadores, profissionais de TI e praticamente qualquer aluno da área de tecnologia, uma das habilidades que o ambiente computacional te exige é o inglês. A língua inglesa de fato é a mais falada no mundo, então ela te ajuda a se comunicar com diversos profissionais e entusiastas da programação de qualquer região do planeta, além dos milhares de termos usados na computação que estão nesse idioma. Com isso, pode-se presumir( ou pelo menos chutar) que em algum momento do seu aprendizado da lingua inglesa, um indivíduo com mais fluência e expertise no assunto provavelmente te disse: "Para falar em inglês, você deve pensar em inglês". Mesmo que soe um tanto vago, essa é uma afirmação extremamente fundamentada em conhecimentos científicos, não sobre o idioma inglês em si, mas sim sobre a estrutura das linguagens( e aqui eu peço para o leitor marcar um breakpoint). As linguagens, sejam elas quais forem, surgiram de outras linguagens, ou seja, são evoluções de dialetos arcaicos, que por sua vez evoluíram de algum Neandertal balbuciando sobre desenhos em paredes de cavernas. Quando comparamos duas linguagens, como Português e Espanhol, vemos que mesmo sendo bem diferentes e até difícil de entender em alguns contextos, elas compartilham de diversos termos e regras em comum, o que já não ocorre tanto comparando Português com Inglês. Sabe o porquê? As línguas Portuguesa e Espanhola são de origem Românica Ocidental, enquanto o Inglês é uma linguagem Germâno Ocidental. Isso significa que a estrutura desses idiomas foram arquitetadas em cima de bases diferentes, em sistemas diferentes. Para atingir a fluência da língua inglesa é necessário pensar em inglês, e se você aprender a pensar em Inglês vai ficar muito mais fácil aprender a pensar em Alemão, que também é um idioma Germânico.

Agora o que interessa mesmo( voltem ao nosso breakpoint). Tendo essa ilustração em mente, podemos claramente ver como isso se aplica à programação. Você fala português, e provavelmente inglês, mas as máquinas às quais ordenamos tarefas todos os dias não falam nossa língua.

	Na verdade mesmo, elas só falam uma língua que, pasmem, se chama linguagem de máquina( um monte de zero's e um's). Porem, para a nossa reflexão, vamos apenas omitir a existência de compiladores e intérpretes de código( mesmo que saibamos que eles existem).

Isto posto, as máquinas não entendem seu português e inglês, por isso você acaba estudando as linguagens que elas 'falam' (C, C++, C#, Python, Kotlin, PHP...) e durante o seu aprendizado árduo, cansativo, mas extremamente recompensador, eu deixo aqui um único conselho que pode te ajudar não só a aprender uma linguagem nova, mas facilitar todas as outras que você venha a aprender:

Para programar máquinas, pense em "maquinês".



0
0

Comentários (8)

0
Matheus Tomazi

Matheus Tomazi

12/07/2021 15:02

Obrigado pessoal, foi meu primeiro artigo. Fico muito feliz com o feedback de vocês!!

0
Márcia Silva

Márcia Silva

12/07/2021 11:04

Muito bom o artigo Matheus, parabéns!

0
Alessandra Passos

Alessandra Passos

12/07/2021 10:32

Muito bom!

0
Maria Clemente

Maria Clemente

12/07/2021 10:18

Muito legal seu ponto de vista!!

0
Á

Átila Pinto

12/07/2021 10:00

Parabéns...muito bom. ÓTIMO apontamento Matheus.

0
ERICA FELIX

ERICA FELIX

12/07/2021 09:49

Muito Bom , Matheus!

0
Luiz Canazart

Luiz Canazart

12/07/2021 09:37

Parabéns, ótimo artigo. Gostei e vou seguir esse conselho o/

0
Tiele Costa

Tiele Costa

12/07/2021 09:36

Parabéns pelo artigo, Matheus !

Eng. Eletrônico em formação. Buscando conhecimento...

Brasil