0

Orientação a objetos em PORTUGOL (atualizado)

Sebastião Almeida
Sebastião Almeida

Já pensou na possibilidade de programar em Portugol de forma funcional e orientado a objetos?


Este artigo apresenta a utilização de uma biblioteca desenvolvida em C++ para permitir a compilação de códigos em uma linguagem semelhante ao Portugol, porém com uma extensão ao paradigma orientado a objetos com o objetivo de facilitar o ensino de programação.

A BIBLIOTECA PORT.H

A biblioteca port.h é um conjunto de macros em linguagem C++ desenvolvida para ser introduzida no ensino de programação tanto estruturada como orientada a objetos, sua síntese é de fácil compreensão:

Exemplo de código usando a biblioteca Port.h


INTRODUÇÃO

Esta ferramenta de programação permite aos usuários iniciantes em programação (orientada a objetos, especialmente) o exercício dos seus conhecimentos num ambiente próximo da realidade. Para quem está começando nota-se que a abstração de “rodar o chinês”, ou seja, de executar um programa apenas no papel, é um grande obstáculo (quase intransponível para alguns) no aprendizado das técnicas de elaboração de classes, funções, métodos e objetos. Por outro lado, submeter um iniciante aos rigores de uma linguagem de programação como Java ou ao “esoterismo” do C++ também é exagerado. O ideal seria uma linguagem mais simples, parecida com o Portugol”, de grande popularidade nos meios acadêmicos e presente nos livros mais utilizados; com ela, os princípios “básicos da programação estruturada podem ser ensinados sem que a curva de aprendizagem fosse íngreme. Além disso, esta ferramenta deve também ser capaz de simular o que acontece na tela do computador com o uso dos comandos “ler” e “escrever”, bem como possibilitar a verificação dos valores das variáveis, o acompanhamento passo a passo da execução de um algoritmo orientado a objetos (pelo seu grande valor didático).

OBJETOS E CLASSES

Na biblioteca port.h além dos tradicionais tipos de dados primitivos (inteiro, real, caractere) e dos tipos agregados (vetores e matrizes) também existentes na linguagem Portugol, temos mais dois tipos de dados agregados que são eles: as estruturas e os objetos. As estruturas são tipos de variáveis agregadas que armazenam diversas outras variáveis de tipos distintos, já os objetos além de armazenar tipos distintos de dados de forma semelhante as estruturas também podem armazenar funções (chamadas de métodos) e possuem os recursos de herança e encapsulamento (o que permite a modelação do paradigma OO na biblioteca).

Como em todas as linguagens OO para criarmos objetos precisamos antes definir o seu escopo, o que chamamos de classes, de forma semelhante a linguagem C++ existem dias formas de se declarar classes de objetos usando a biblioteca PORT.H, a primeira por maio da definição de uma estrutura (equivalente a uma struct em C++), as funções e variáveis definidas dentro de objetos criados por meio de estruturas ficam encapsuladas como públicas, e portanto, para uma melhor modelação do paradigma orientado a objetos na biblioteca PORT.H podemos usar a palavra reservada “classe” em vez da palavra “estrutura” pois essa permite a criação de objetos com encapsulamento privado.

CONCLUSÃO

A biblioteca port.h possui um grande potencial para ser utilizada como ferramenta no ensino da programação, sendo uma boa alternativa ao tradicional Portugol e uma forma de inicialização as linguagens C e C++. Sua grande quantidade de funções e recursos que lhe permitem o uso da programação orientada a objetos lhe permite ser também utilizada como uma ferramenta de ensino da OO.

Faça o download da biblioteca port.h no GitHub

0
0

Comentários (1)

1
Rômulo Costa

Rômulo Costa

27/08/2021 13:01

Nossa, que interessante! Se eu tivesse uma ferramenta dessas quando estava estudando lógica de programação, teria compreendido o paradigma de orientação a objetos bem mais rápido.

PCD - apaixonado por desafios e por me superar

Brasil