1

O que é cloud?

#Azure
Gabriel Faraday
Gabriel Faraday

Um tópico muito discutido hoje em dia, que já é PRESENTE e não mais FUTURO como há alguns anos atrás, é a cloud (ou a nuvem em português).

 

Image for post

São inúmeras as vagas onde se pedem experiência em cloud. São diversas palestras apresentadas mensalmente retratando aspectos e serviços de cloud. Temos eventos focados apenas em cloud.

Cloud, cloud, cloud…

Mas afinal, o que é cloud?

Cloud, ou computação em nuvem, nada mais é que a distribuição de serviços de computação pela Internet usando um modelo de preço pago conforme o uso.

Em vez de manter as CPUs e o armazenamento em seu data center local (prática chamada de on-premises), você os aluga durante o tempo necessário.

A empresa que fornece e mantem a infraestrutura de cloud, é chamada de provedor de nuvem.

Atualmente os principais provedores de cloud são:

 

Image for post

Porém, muitas outras empresas têm se enveredado pelo caminho de prover serviços de nuvem, como por exemplo: Oracle, IBM, Apple, Citrix, e até o Alibaba (sim, aquele Alibaba, de compras on-line).

Em resumo, empresas que possuem um enorme poder de processamento, armazenamento e de forma geral grande poder de inovação e tecnologia, têm usado de sua infraestrutura para alugar a terceiros e garantir um melhor aproveitamento de seus recursos físicos.

Por que devo mudar para a nuvem?

De forma simples e direta, a cloud nos oferece rapidez e inovação de maneiras que antes eram quase impossíveis.

Dentre outras coisas, uma cloud nos fornece:

  • Componentes brutos de rede, armazenamento e computação.
  • Reconhecimento de fala e outros serviços cognitivos.
  • Serviços de análise que permitem que você compreenda os dados telemétricos recebidos do software e dos dispositivos.

Quais os benefícios da computação em nuvem?

Uma cloud tem diversos aspectos que tornam sua adoção algo bem interessante:

  • Econômica: pago conforme o uso ou baseado em consumo.
  • Escalonável: aumentar ou diminuir os recursos e serviços usados com base na demanda ou na carga de trabalho em um determinado momento. Pode ser feito manualmente ou automaticamente com base em gatilhos específicos (Elástica).

 

Image for post

Escalonamento vertical (aumento de memória por exemplo) e escalonamento horizontal (aumento de máquinas por exemplo)

  • Ágil: você pode se concentrar no que é importante: na criação e implantação de aplicações.
  • Confiável: serviços de backup de dados, recuperação de desastre e replicação de dados para garantir que seus dados estejam sempre seguros.
  • Global: datacenters totalmente redundantes localizados em várias regiões no mundo todo, melhorando questões de latência.
  • Segura: amplo conjunto de políticas, tecnologias, controles e habilidades técnicas especializadas que podem fornecer mais segurança do que a maioria das organizações poderiam atingir sem eles.

 

Image for post

São diversos os níveis de segurança que uma cloud nos garante

E como funcionam os serviços de cloud?

Existe 3 principais categorias de serviços em uma cloud:

IaaS (infrastructure as a service):
Infraestrutura como serviço é a categoria mais flexível dos serviços de nuvem. Ela tem como objetivo oferecer controle total sobre o hardware que executa uma aplicação, incluindo:

  • Servidores de infraestrutura de TI
  • VMs
  • Armazenamento
  • Redes
  • Sistemas operacionais

Com a IaaS, você aluga hardware em vez de comprá-lo.

PaaS (plataform as a service):
Plataforma como serviço fornece um ambiente para criação, teste e implantação de aplicações de software.

A meta é ajudar na criação das aplicações sem a necessidade de se preocupar sobre como gerenciar a infraestrutura. Por exemplo, você desenvolve e “sobe” o teu site ou API para a cloud e ele está disponível! Literalmente com alguns cliques (ou comandos).

SaaS (software as a service):
É um software que é hospedado e gerenciado de forma centralizada para o cliente final.

Geralmente, ele se baseia em uma arquitetura em que uma versão do aplicativo é usada para todos os clientes e licenciada por meio de uma assinatura mensal ou anual.

Exemplos: Office 365, Skype e Dynamics CRM Online.

A imagem a seguir mostra em resumo o que fica a cargo de você gerenciar e o que o provedor de cloud se responsabiliza em gerenciar em cada uma das categorias, desde Local (on-premises) até SaaS:

 

Image for post

A próxima imagem é bem parecida com a anterior, porém mostra alguns aspectos diferentes:

 

Image for post

E qual cloud devo contratar?

Bom, tudo isso que foi explicado acima, não é fornecido gratuitamente, é claro.

Os preços e forma de cobrança variam de acordo com cada serviço contratado. Alguns possuem o preço fixo mensal, outros cobram apenas pelo tempo e volume de processamento. Ainda há serviços que mesclam as duas formas.

O importante é fazer uma análise prévia do que se pretende usar e fazer a famosa cotação! Após isso, escolha a que se encaixar melhor a seu bolso e suas necessidades!

Nós como meros mortais podemos contratar um provedor de cloud com um cartão de crédito comum, porém dessa forma obteremos os preços padrões do dado provedor. Já uma empresa que vai usar um volume maior de coisas, consegue negociar os valores, geralmente fazendo um contrato personalizado através de um parceiro do provedor.

Portanto, se for contratar um provedor de cloud para sua empresa, faça uma análise prévia e negocie!

Fique atento também no fato de que alguns serviços são do tipo Cloud Lock-in: isso quer dizer que eles “te prendem” ao dado provedor de cloud, você não consegue reaproveitar as soluções em outras clouds. Então avalie bem ao planejar uma solução e dê preferência por serviços que te darão liberdade de migrar de cloud futuramente, seja por preços melhores ou por disponibilidade mais próxima de seus clientes, etc. Aliás a prática de migração de cloud é bem comum hoje em dia.

Conclusão

Cloud é o presente da computação! Ainda é bem comum ter um servidor nas empresas hospedando um site ou serviço, porém isso deve ser cada vez menos interessante.

Obviamente não vamos sair jogando fora o servidor on-premises e contratando serviços em cloud. Tudo deve ser bem avaliado.

Porém, se for começar algo novo ou se pretende inovar de fato, sugiro olhar com carinho para cloud. Aliás, os beneficios são grandes.

E para você profissional que lê este texto, sugestão: comece a olhar para cloud e para os serviços oferecidos (a maioria dos serviços tem um correspondente em todas as principais clouds). Entenda o básico para conseguir propor soluções no dia a dia. Acredito que logo você consiga entrar para esse campo que está em grande expansão!

Espero que tenha te ajudado!

0
16

Comentários (0)