3

#meuPrimeiroProjeto – IoT PARTE 1

#C
V
Vitor Silva

#meuPrimeiroProjeto – IoT PARTE 1


INTRODUÇÃO


O presente artigo tem como finalidade exercitar e compartilhar com a comunidade DIO um pouco sobre a minha curiosidade e fazer uso dos aprendizados que fazem parte da minha trilha no bootcamp da Avanade Fullstack Developer. Nessa trilha de aprendizado é tratado sobre IoT(Do inglês: Internet of things ou Internet das coisas) de maneira bem dinâmica e um pouco do que é falado no curso, é sobre o Arduino. Citado como exemplo de plataforma de prototipagem para IoT que usa linguagem C/C++. Assim resolvi pesquisar mais sobre o assunto e colaborar desenvolvendo com Arduino um sensor de presença para ser usado como um dispositivo de Smart Home. E na fase final do projeto acoplar outro microcontrolador chamado NodeMCU ESP8266 para conectar com a internet e concluir a prototipagem de um dispositivo IoT.


ARDUINO


Existem diversos tipos de Arduino, com uma rápida pesquisada no google você encontra uma gama deles para os mais diversos tipos de uso. Eu optei por usar o modelo Arduino Uno, que é o mais popular do mercado, segundo minha pesquisa e o que se encontra a preços mais acessíveis.

Conforme exposto por McRoberts(2011), Arduino é uma plataforma de computação embarcada capaz de interagir com o seu ambiente através de hardware e software de forma fácil e de baixo custo. O Arduino project iniciou em 2005, sendo um projeto de fonte aberta, tendo como principal vantagem sua facilidade de uso.

Outra característica do Arduino é que podem ser acoplados ao Arduino, shields, que são acessórios inteligentes que ampliam as funcionalidades do equipamento.


características:

1.      Microcontrolador

Possui um microcontrolador ATmega328, que faz o processamento, assim como um computador. E é programável através de código que é enviado para ele.

2.      Conector USB

Possui duas funções, pode ser usado como um cabo alimentador da placa e é por onde o computador se comunica com a placa.

3.      Pinos de Alimentação

São os pinos que fornecem energia ou tensão para os componentes que serão ligados a placa no desenvolvimento do projeto.

4.      Botão reset

É o botão que reinicia a placa.

5.      Conversor serial

É o chip que converte as informações da placa para o computador e vice-versa. 16

6.      LEDs TX/RX

Acendem quando o Arduino está transmitindo dados pela porta serial.

7.      Conector de Alimentação

É a entrada de energia de alimentação externa. A tensão de alimentação varia entre 7V e 20V, sendo recomendado utilizar uma fonte de 9V.

8.      LED de Alimentação

Indica se a placa está energizada.

9.      LED Interno

Esse LED está conectado ao pino digital 13.


O PROJETO – DETECTOR DE PRESENÇA


Com o Arduino, tudo é praticamente bem simples, basta alguns conceitos de linguagem C para programar o que se precisa e acoplar nele os sensores ou atuadores para prototipar o que se precisa.

Nessa primeira etapa estou focado no Arduino, portando vou fazer uso de um sensor de presença Módulo Sensor PIR HC-SR501 e um Buzzer ativo de 5V.

O módulo sensor PIR HC-SR501, contém um sensor piroelétrico que detecta faixas de espectros de radiação, acompanhando de um domo, que aumenta a zona de alcance do sensor. Possui dois potenciômetros que regulam a distância de percepção do sensor e o sinal de saída quando o sensor detecta a presença.


O Buzzer Ativo 5V é um componente indicado para você que precisa adicionar efeitos sonoros em projetos eletrônicos como alarmes, sistemas de sinalização, jogos, brinquedos, etc.

Funcionará da seguinte maneira. O módulo PIR ao detectar a presença de alguém ou alguma coisa, enviará para o Arduino um sinal elétrico que será processado e acionará o Buzzer emitindo um aviso sonoro.


Segue o código:

//Declaramos os pinos que vamos a usar
int digPin = 6;   //Pino Digital 6 para o sensor de presença
int pinBuzzerA = 7;    //Digital 7 para o buzzer


//Declara uma variável para armazenar o valor que o sensor devolve
int valor = 0; 


void setup()
{
  Serial.begin(9600);   //Inicia o console serial
  pinMode(digPin, INPUT);  //Configuramos o pino digital 6 como entrada
}


void loop()
{
  
  valor = digitalRead(digPin);    //Lê o valor do sensor e atribui a variável valor
  Serial.println(valor);          //Imprime no console o valor do sensor
  if(valor)                   //Se o valor é verdadeiro ou seja igual a 1, faça
  {
   
    Serial.println("DETECTADO");    //Imprime a mensagem DETECTADO no console
    sonoro();           //chama a função sonoro() do buzzer ligado
    
  }
  else                            //Se não faça
  {
    Serial.println("NADA DETECTADO");       //Imprime no console a mensagem NADA DETECTADO
  }
  
    
  
}




//Função que liga/desliga o Buzzer como um alarme


void sonoro(){
  int duracao = 1000;
  
  tone(pinBuzzerA, 250, duracao);
  delay(60);
  noTone(pinBuzzerA);
  delay(60);
}



CONSIDERAÇÕES FINAIS


No curso entendemos que a utilidade da internet das coisas é a agregação de dados coletados por sensores. No entanto, nessa primeira etapa do projeto não foi relacionado a esse propósito pois, o que se busca inicialmente é o entendimento das tecnologias de prototipagem e conforme vou avançando na trilha de aprendizagem do bootcamp da Avanade irei agregando os conceitos estudados para alcançar o ciclo de desenvolvimento completo de um projeto IoT. Vale ressaltar também que o Arduino é uma excelente escolha para iniciar o aprendizado para tal finalidade. Daí a ideia do Artigo. Na parte dois , vou falar sobre o NodeMCU ESP8266 para conectar o Arduino a internet.

Espero que tenham gostado desse pequeno texto e me coloco a disposição para eventuais dúvidas.


Abraços e até a próxima!


Referencias

MCROBERTS, Michael. Arduino Básico. São Paulo: Novatec, 2011.

0
98

Comentários (0)

São Paulo - SP

Brasil