0

Meu primeiro curso de informática, qual foi o seu????

#Arquitetura de Sistemas
Vagner Bellacosa
Vagner Bellacosa

Obrigado DIO pela oportunidade.


Meu primeiro curso oficial de informática.


Salve jovem padawan, hoje estou indo no túnel do tempo, voltando ao século passado, quando eu era um jovem e sonhador padawan no reinos da informática. Estarei relembrando do primeiro curso de informática oficial, a saga para aprender, as dificuldades e desafios e entrar nesta dimensão, veja o quanto mudou de ontem para hoje e o quanto a DIO é importante para nos..


Primeiro vamos situar nossa história no contexto temporal, em 1990, eu estava cursando o segundo ano do colegial técnico e na altura não existiam tantas linguagens de programação disponíveis para se estudar, na minha escola estávamos limitados a duas linguagens: Cobol e MS Basic e aplicativos WordStar, Lotus 123 e Dbase II.


Comparando com o leque de linguagens que existem hoje, bem desafiador ne? Naquela época eu programava em Basic, desde meados dos anos 80, operando num pequenino TK85 ligado na TV, na época em minha casa so havia uma TV, então meu tempo de estudo e diversão era limitado a horários em que a família não estava assistindo nenhum programa (uma janela bem limitada numa casa com mais dois irmaos).


Saiba que naquela época que a Internet era restrita a universidades e complexos militares, modens e comunicação via linha telefônica, era coisa de Banco, grandes estatais e pessoas com muita grana, claro que nao me enquadrava nesta categoria, me restava ouros acessos, e la estava esse tiozão lendo duas revistas lendárias dos primórdios da programação a MicroSistemas e a CPU MSX, sonhando em ser um hacker e programar em grandes sistemas, acessando computadores mainframes e programando jogos únicos para Atari e depois nitendinho.


42 horas de imersão em Basic.


Voltando ao tema original, naquela época não existiam tantas instituições para ministrar cursos de informática a preço acessível, os computadores eram escassos e com preço elevados, dificultando a criação de escolas e encarecendo a formação.


Na época encontrei na grande São Paulo, na cidade de Poa, uma escola chamada ITEP Instituto Técnico de Educação Profissionalizante, que ministrava cursos de informática a preço acessível, para isso viajava de trens da CBTU, rumo a esta pequena e aprazível cidade, todos sábados pela manhã, durante um ano, em que aprendi de forma profissional, foram dois cursos que frequentei: Basic e DBase II.


Neste artigo estarei falando do primeiro, o curso de Operação e Programação em Basic, desenvolvido num equipamento CP 500, veja que curioso, na época antes de aprendermos a linguagem, o curso ensinava a operar naquela geringonça chamada COMPUTADOR.


Éramos pioneiros, por isso, a primeira coisa a ser feita, era ensinar o que era o equipamento, a ligar e desliga-lo, o sistema operacional e seus comandos, que na altura era o CP/M. Após esses estudos e que aprendíamos logica, usando caneta e papel, verdade, escrevíamos o programa num caderno e somente ao final da aula e que usamos o computador.


O acesso ao computador era escasso, pois éramos 20 pessoas para 5 computadores, por isso trabalhávamos em equipes de 2 e tínhamos tempo limitado para operar e digitar o programa, debuga-lo, testa-lo e concluir a atividade..


A metodologia do trabalho era dar confiança ao aluno, permitir explorar o equipamento, conhecendo seu funcionamento e operação, na parte da programação aprendíamos conceito de logica, criação de tela e programas “comerciais”.


Pode parecer bobo, comparado com a nossa realidade, porem fomos pioneiros, descobrindo em voo, o que funcionava ou não, como aprender e compartilhar o conhecimento nos primeiros computadores domésticos do Brasil.


Foi uma época de avanços, do CP 500 com processador 8 bits família TRS 80 III, em que experimentávamos o Wordstar (editor de texto), o CalcStar, primeira planilha de cálculo, precursora do Lotus 123 e o DBase II, iniciando-nos os primeiros passos em armazenamento de dados.


Foram dias memoráveis, tanto conhecimento, aventura de estar entrando no mundo dos bits e bytes, onde tínhamos uma pequenina comunidade, onde trocávamos apostilhas fotocopiadas, amarelas de tanto manusear, com apontamentos a lápis com os segredos descobertos.


Não existia internet, poucos privilegiados tinham grana o suficiente para usarem o teletexto da Telesp, isto é, caso seu equipamento fosse equipado com um modem de 4,8kps e tivesse linha telefônica, duros anos 80 e 90.


Abaixo apresento alguns companheiros de jornada citados neste artigo, faça uma viagem no tempo para a computação jurássica e compare o quanto evoluiu nos dias de hoje.


O que é TK 85? 


Foi um microcomputador popular nos anos 80, utilizado para uso doméstico baseado na família Sinclair ZX81 com um microprocessador Z-80A de 8 bits, que pasmem tinha de memória 48 kilobytes, menos que muitos aparelhos de nosso uso cotidiano .Vinha com linguagem Basic, instalado e um manual de operação com exemplos de programa e um mini curso.


O que é CP/M?


O avo dos sistemas operacionais dos microcomputadores, e segundo a lenda, foi a pedra fundamental do castelo construído por Bill Gates, ao fundar a Microsoft e vendendo o MS-DOS para a IBM, clonado engenhosamente por ele.


Mas o que é significa? CP/M (um acrônimo para Control Program for Microcomputers ou "Programa de Controle para Microcomputadores", foi o software que permitiu a primeira geração de programadores a iniciar-se nestes mistérios, servindo de inspiração ao IOS de Steve Jobs.


Microsistemas e CPU MSX


Revistas pioneiras que traziam todos os meses exemplo de códigos, joguinhos em que gastávamos horas e mais horas, digitando para ver o seu funcionamento, aprendendo o básico da computação, passadas de mão em mão por programadores iniciantes, fotocopiadas dezenas de vezes, para todos poderem treinar ao mesmo tempo. Fonte de frustação quando vinham com gralhas e erros no código, em que tínhamos que esperar meses para a correção, numa época que não existiam mestres jedis e nem gurus.


Tempos românticos onde tudo era novidade, computadores eram coisas do outro mundo, havia tão poucos iniciados que quase todos se conheciam, saudoso Jamil e sua softhouse na Praça da República, ou escritórios escondidos na Xavier de Toledo com as últimas novidades trazidas de Miami e as famosas lojas da Santa Ifigênia, antes do domínio dos Xing Lee e seus shopping de quiosques.


Gratidão DIO


Hoje eu sou muito agradecido e todos devemos ser gratos a Digital Innovation One, onde podemos acessar centenas de cursos, nas mais diferentes linguagens de programação, conhecendo metodologias e design patterns modernos, conhecer diversos tipos de base de dados NOSQL, SQL e etc.


Estando no conforto de nosso lar, com cursos disponíveis a qualquer hora do dia, com uma comunidade composta por 600.000 pessoas em mais de duas dezenas de países, com convidados ilustres em laboratórios apresentando truques e dicas, que os livros não trazem.


Qual a sua opinião? Qual trilha de conhecimento mais gostou? Qual o bootcamp que prendeu sua atenção e elevou-te ao próximo nível?


Conclusão


Este artigo teve como principal tema, agradecer a oportunidade, relembrar velhos guerreiros que sumiram do mapa, cursos e linguagem do túnel do tempo, uma sessão naftalina que ilustra como tudo muda, evolui e é substituído pelo novo.


Estude padawan, prepare-se, aproveite e aprenda o máximo que puder, oportunidades como esta são raras, seu único compromisso é estudar, aprender e um dia, passado uns 20 ou 30 anos, escrever um artigo e relembrar de momentos vividos no dia de hoje.


Espero ter ajudado ate o próximo artigo.


 Mais momento jabá, para distrair, visite meu vídeo e veja para onde fui desta vez: https://www.youtube.com/watch?v=J2026FsIx84


Bom curso a todos.


 https://www.linkedin.com/in/vagnerbellacosa/


 https://github.com/VagnerBellacosa/


Pode me dar uma ajudinha no YouTube?


 https://www.youtube.com/user/vagnerbellacosa

0
2

Comentários (25)

0
L

Luciano Nascimento

25/08/2021 11:20

Realmente nada era fácil na década de 90, hoje ter uma instituição como a DIO é espetacular, como acabei indo para área financeira mas sempre tendo muito contato com os computadores sempre tive a vontade de ingressar na área e agora depois dos 48 estou aos poucos tentando desvendar esse mundo gigantesco da T.I.

3
Vagner Bellacosa

Vagner Bellacosa

17/08/2021 13:27

Eh amigo Marcos, quantas horas lúdicas passei em Basic em Tk 85, em MSX e até em PC XT... o que sou hoje, foi graças a estes momentos divertidos na pré-história da informática.


Amigo Acacio, tempos bacanas, mas duro e difíceis para estudar, os cursos eram tão caros... misericórdia...

0
Maria Moura

Maria Moura

24/08/2021 22:33

Nossa! Msx, Basic.... tudo isso e Cobol! Mas meu primeiro curso foi Assembler, em 1977. Infelizmente na época não pude continuar. Mas em 1998 voltei! E agora aqui. E vamos estudar!!!!

1
Antonia Lima

Antonia Lima

24/08/2021 13:35

Kkk, esse artigo me lembrou que uns dias atrás, eu era a sabe tudo do wordstar e do lótus 123 no trabalho. Depois fiz e trabalhei com a grande novidade: Rede Novell, era o máximo! Parabéns pelo artigo.

0
Emilia Brasilio

Emilia Brasilio

24/08/2021 15:26

Nossa que dejávu, fiz basic no ensino médio, porque um professor resolveu que era interessante. Isso foi pelos anos 90. Ai que saudade que me bateu aqui. Não uso basic no meu trabalho, mas a sementinha que o basic plantou aqui cresceu e ainda dá frutos.

Obrigada pelo artigo.

PS: Ainda tenho um TK90 aqui em casa, relíquia do meu marido nerd.

0
Daniel BINS

Daniel BINS

24/08/2021 13:33

Meu primeiro curso de informática foi na metade dos anos 90, era composto de DOS 5, WordStar, Lotus 123, Dbase III e Clipper.


Metade das aulas era teórica. A parte prática era feita em dupla.


Naquela época, os computadores eram 486. Quando eu fiz o meu segundo curso, já começavam a chegar os primeiros Pentium

0
Rodolfo Santos

Rodolfo Santos

23/08/2021 18:22

Quase dois meses antes de eu nascer esse certificado estava sendo emitido. Hoje estou eu aqui iniciando, meio que tardiamente, de uma forma mais direcionada os estudos em desenvolvimento. Isso é muito inspirador e sou muito grato por pessoas como você e todos os integrantes da Equipe da DIO (incluindo todos os usuários que, pelo pouco tempo que estou aqui, são muito ativos) por contribuírem para a melhoria da sociedade como um todo e alimenta o orgulho de ser brasileiro!

0
João Ferreira

João Ferreira

21/08/2021 23:55

Fiz um curso em 1995 de Windows, Word, Excel e Power Point que foi a revolução na época com a transição do Windows 3.11 para o Windows 95

0
C

Celina Takeda

21/08/2021 20:53

Passei também por esses tempos, onde estudar tecnologia era bem difícil. Lembro que comecei fazendo cursos de informática que englobava um pacote sequencial de vários cursos como introdução a computação, Lotus 123, Basic...

A aula teórica eram feitas em salas de aula normal, sem computadores. Os exercícios eram feitos no caderno primeiro e depois numa próxima aula íamos para o laboratório.

Quanta evolução.

Estudar tecnologia, hoje, de graça e em casa.

Obrigada por compartilhar.

0
J

Jose Debastiani

21/08/2021 16:46

Cobol Básico na Associação do Professorado Paulista de Júndiaí, isso a mais ou menos uns 40 anos!

Analista Programador dinossauro IBM Mainframe

Brasil