0

Kubernetes, anatomia do POD

Leonardo Demetrio
Leonardo Demetrio

Oi galera, tudo bem ?


Pessoal, hoje eu vou falar um pouco sobre o POD


Dentro do kubernetes utilizamos a nomenclatura Pod para se referir a um conjunto de containers, por exemplo :



Então quando criamos um pod, estamos criando dentro dele um ou mais containers para serem executados na nossa máquina virtual.


Quando criamos um POD, o seu container por padrão é criado na porta 80 ou 8080. Para acessa-lo, podemos acessar o IP do POD 100.85.125.26 e a porta do container 8080


100.85.125.26:8080 esse número é importante quando queremos que os pods se comuniquem.




Imagine que em um POD eu tenha 5 containers de MySql, no outro 5 containers de Java e no outro 3 com uma aplicação Front. É a partir do IP do Pod que as aplicações podem se comunicar através da API do Kubernetes.



A API do Kubernetes é um Serviço oferecido pelo Kubernetes para que as aplicações ou os PODs possam se comunicar.


Para acessar um container dentro do POD, podemos utilizar o seguinte acesso:


IP DO POD : porta do container


100.85.125.26:8080 <- estou acessando o container da imagem.


Para acessar outro container basta trocar a porta

100.85.125.26:8080 <- container 1 Front-end

100.85.125.26.8080 <- container 2 Ngnx


O Ngnx é um servidor igual Tom Cat, ele pode fazer também redirecionamentos de trafego da rede também de forma simples.


O Kubernetes também pode substituir os Pods quantas vezes forem necessários e os seus containers, desta forma ele faz o balanceamento de carga. Um pode só pode ser destruído por completo se TODOS OS CONTAINERS dentro dele forem destruídos.


Recapitulando, um POD é um conjunto de containers docker e os PODs rodam em uma máquina física ou virtual que pode ser ou não escalável os PODs ou as máquinas podem compartilhar seus dados entre si.


Funcionamento do POD na nuvem AZURE

Resultado de imagem para azure

Em aplicações em nuvem como AZURE por exemplo quando subimos uma aplicação de mensageria por exemplo com rabbitmq, o que o AZURE está fazendo é subir um POD com um container de rabbitmq dentro. Ao ser parado ele salva os dados, mas o container fica em stand by, como não é mais utilizado ele mata o POD e quando você sobe ele novamente ele sobe com um IP novo. Isso pode dar confusão na cabeça de muitas pessoas porque cada POD é único e tem um único IP diferente um do outro, há possibilidade de criar um POD com um IP fixo pelo Kubernetes, mas isso se faz pelo arquivo de configuração.



O QUE ACHO

Bom acho que o POD é interessante e muito bom para arquitetura de microsserviços, entretanto, acredito que você ter um POD para 1 único container não seria o ideal já que o Docker pode cuidar disso muito bem. Será mesmo que para aplicações cujo só utiliza um único container é necessário um POD ou a utilização dele tem algo a mais neste caso?

Deixo essa reflexão no ar!


Bom galera é isso, fiquem com Deus e abraços!

0
1

Comentários (0)

Analista de sistemas. Sou apaixonado por tecnologia, marketing e games

Brasil