3

O Software Livre como expressão de liberdade do usuário

José Júnior
José Júnior

O SOFTWARE LIVRE COMO EXPRESSÃO DE LIBERDADE DO USUÁRIO


A expressão “software livre” foi formalizada pela primeira vez por Richard Stallman, idealizador do movimento filosófico e tecnológico chamado Projeto General Public License (GNU) que pode ser traduzido literalmente como Licença Pública Geral. Posteriormente, essa ideia passou a ser mantida pela Free Software Foundation que é atual responsável pelo software livre. Esse tipo de programa surgiu como uma forma de protesto contra o abuso cometido por grandes empresas da área de informática que costumam cobrar altos preços pelos serviços oferecidos, além de reduzir o usuário a um mero cliente final.


A principal característica dos programas livres é o seu código-fonte aberto que é garantido a todos por meio do copyleft, ou livre direito de cópia que são leis que regem essa definição. Esse tipo de licença reforça às liberdades e impede a apropriação, ou seja, proíbe que ele seja transformado em um software privativo/comercial. Abaixo, estão elencadas as quatro liberdades defendidas pelo Projeto GNU (2012):


A liberdade de executar o programa como você desejar, para qualquer propósito (liberdade 0). A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo às suas necessidades (liberdade 1). Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito. A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar outros (liberdade 2). A liberdade de distribuir cópias de suas versões modificadas a outros (liberdade 3). Desta forma, você pode dar a toda comunidade a chance de beneficiar de suas mudanças. Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito (GNU.ORG, 2012).


Nesse contexto, o Software Livre tem a liberdade de expressão como princípio, todo usuário pode se expressar livremente modificando o software e desfrutando de seus benefícios de forma personalizada. Embora o acesso código-fonte do programa do tipo livre não possa ser vendido, nem tudo associado a ele será gratuito, pois o usuário pode precisar de suporte ou algo muito específico e, caso não tenha perícia o suficiente para resolver sozinho, terá que pagar para que alguém faça isso. O copyleft só existe em inglês com a finalidade de evitar erros na descrição ou tradução das regras. O site oficial do Projeto GNU (2012) destaca que:


A liberdade de software tem um papel fundamental na educação. Instituições educacionais de todos os níveis devem usar e ensinar apenas o software livre, pois esse é o único que permite que essas instituições cumpram suas missões fundamentais: disseminar o conhecimento humano e preparar os estudantes para serem bons membros de suas comunidades. O código-fonte e os métodos do software livre são partes do conhecimento humano. Software proprietário, por outro lado, é conhecimento secreto e restrito, o que é o oposto da missão das instituições educacionais. O software livre apoia a educação, mas o software proprietário a proíbe (GNU.ORG, 2012).


Diante dessas elucidações, o conceito de software livre pode ser entendido como uma tentativa de estabelecer um sistema social que ofereça respeito à liberdade de cada um dos usuários, bem como a da comunidade.


REFERÊNCIAS USADAS COMO BASE


GNU.ORG. O que é o software livre?. Disponível em: <https://www.gnu.org/philosophy/free-sw.pt-br.html>. Acesso em: 28 de dezembro de 2020.

STALLMAN, Richard. Por que escolas devem usar exclusivamente software livre. GNU.ORG. Disponível em: <https://www.gnu.org/education/edu-schools.html>. Acessado em: 30 de dezembro de 2020. 

3
47

Comentários (3)

1
Vinícius Ferreira

Vinícius Ferreira

08/02/2021 11:23

Boa, Junior

Cara, como vc insere imagens no artigo?

1
Caio Negrão

Caio Negrão

08/02/2021 10:47

Uma das maravilhas dessa área!

1
Helder Silveira

Helder Silveira

08/02/2021 10:37

Show o seu artigo!

Software is like sex; it's better when it's free (Linus Torvalds) 🐃🐧💻

Brasil