0

#DIOProGrátis | Como medir o desenvolvimento de um aluno?

G
Gean Machado

Quando um sistema automático avalia um aluno ou um aluno faz avaliação de um serviço de aprendizado, o que exatamente está em jogo?


Eu estou chegando ao quinto Bootcamps, se não fosse erros de validação de alguns desafios o teria finalizado hoje. Não sou o 'expert' da plataforma, mas já percebi o seguinte padrão. A saber:

  1. O sistema de avaliação das trilhas tem uma deficiência na elaboração do gabarito, talvez pelo desconhecimento da Teoria de Resposta ao Item(TRI), que frisa o não destaque explicito do gabarito diante das demais alternativas. Você já percebeu em sua maioria das vezes que as resposta para perguntas objetivas quase _ não é sempre _ tem sua resposta mais completa e com dimensão maior que as demais, caracterizando o destaque para a escolha desta resposta.
  2. Outro ponto, hoje estive com dificuldade na entrega de um projeto e entrei nos perfis 'rankeado' pela plataforma para ver como foi tratado minha dificuldade por esses participantes, e fique surpreso quando todos, sem exceção, apenas indicam links dos arquivos do pré-projeto proposto pela atividade, sem o restante do desenvolvimento, sem a entrega da resposta solicitada.


Vamos lá, quero colocar outra possível perspectiva a respeito de avaliações. É aquilo que alguns malucos chamam de "rigor". Um sistema que se considera rigoroso em suas avaliações é necessariamente um bom sistema do ensino?


O que significa ser rigoroso em uma avaliação? Um sistema rigoroso é aquele que reprova um aluno por conta de um erro em uma única questão de uma única prova? Um sistema rigoroso é aquele que se escraviza a rígidas regras nunca questionadas? Ou um sistema rigoroso é aquele que rigorosamente destrói sonhos, tratando todos os seus alunos de forma igualitária?


Eu tenho experiências em trabalhar com pessoas certificadas que pouco sabem por em prática o que dizem ter domínio. Eu procuro não julgar, ora imagino que foi um sistema de aprovação facilitado ora penso se ele colou para ter a certificação. Falando sobre cola, tem um livro de nome How to Teach Mathematics, escrito por Steven Krantz. Na opinião dele a cola é um problema insolúvel, eu discordo. Os contextos social e individual sempre devem ser avaliados.


São várias questões envolvias, eu vou parar por aqui e não responder aos questionamentos, já que são as respostas que nos segregam e apenas as perguntas que nos unem. Reflita se vale apena essa corrida por XP's e gameficação do aprendizado sem verdadeiramente ter merecido aqueles pontos.


Quem entender isso, terá um pequeno vislumbre sobre o desafio da tarefa de viabilizar a demanda de profissionais de tecnologia para uma oferta nunca contemplada. Quem não entender, estará apenas perpetuando o câncer do fracasso brasileiro perante o mundo. (o jeitinho)


PS. Isso é um cola.


Comente, critique e dê sua opinião.

0
1

Comentários (3)

4
Mauricio Gebrim

Mauricio Gebrim

29/08/2021 04:42

Creio no processo de aprendizagem contínuo, não apenas por meio de provas, pois até os instrutores estão aprendendo e refletindo sobre as práticas. Existem no mercado inúmeras frameworks de certificadoras, usando métricas como medir o tempo, níveis, requisitos, questionários, projetos, gameficação, entrevistas, apresentações, sprints, expiração do certificado em até um ano, etc. Todo esse conhecimento hoje já pode estar obsoleto, então o copiar+colar é parte do processo de aprendizagem, pois na programação é recomendado fazer reuso de códigos (desing patterns, poo), lógico respeitando direitos autorais e as licenças (GPL, CC, MIT, outras). Se eu fosse elaborar um curso, testaria e acrescentaria muitas formas de avaliação, como questionários abertos, mais gameficação, hackatoon, testes de autenticidade pra ver se não é um robô...


Em suma, questionário fechado é apenas um teste de amostragem.

1
Edivaldo Júnior

Edivaldo Júnior

30/08/2021 10:32

Concordo em gênero e grau. Infelizmente é um sistema fadado fracasso. Por isso que existem tantas pessoas formadas, porém poucas são contratadas e outras contratas por terem os "títulos" no papel, mas que na prática, não desempenham bem as suas funções. Muitas vezes não são avaliados o nível de desempenho da pessoa, até que ponto ele consegue desenvolver tais atividades.

0
Anderson Almeida

Anderson Almeida

29/08/2021 15:50

Você falha em uma percepção. As pessoas que estão no topo do ranking produzem artigos, muitas vezes de nivel acadêmico, e além de ajudarem outros no forum da dio.

Tem outra coisa, a mais importante, que o nível de conhecimento transmitido aqui custaria bem caro e é só aproveitar para construir o portfólio.

Ciência de dados e IA | https://github.com/geansm2 | https://www.linkedin.com/in/gean-machado-520b261b9/

Brasil