0

Dia15: A Resposta é 42, minha homenagem ao Guia do Mochileiro das Galáxias

Vagner Bellacosa
Vagner Bellacosa

Dia15: A Resposta é 42, minha homenagem ao Guia do Mochileiro das Galáxias


Dia 15 - Escreva sobre um livro ou artigo que mudou a sua visão sobre a área de tecnologia


Não entre em pânico


O Tiozão vai falar sem parar, digo escrever, pois estarei falando de um dos melhores livros que já li, uma viagem longa e cheia de surpresas, que fala sobre amizade, tecnologia, o maior computador já criado, sobre tablets e enciclopédias, viagem espacial em outros mundos, onde vamos acompanhados por uma trupe de loucos personagens, incluindo Marvin um robot depressivo e meus queridos parças Arthur Dent, Ford Prefect, Tricia McMillian, Slartibrfast e tantos outros.


Bora la?


O título original em inglês é The Hitchhiker's Guide to the Galaxy. E posso dizer, este livrou mudou minha visão não somente sobre a área de tecnologia, como sobre a vida, sobre atitudes e sobre como viver.

Imagine um inglês louco, que gostava de beber uns copitos, que peregrinava no mundo, sem eira nem beira, quando se vê bêbado em um campo na Áustria, sem saber falar uma única palavra de alemão, sem grana e um guia de viagens na Europa, foi assim que Douglas Adams teve a epifania da sua vida e criou o livro mais louco deste lado da Via Láctea.

Um livro que trata os perrengues de viajar, de estar sozinho, de não conhecer os hábitos e culturas de outros povos e ao mesmo tempo abrir nossos olhos para a verdade da Vida.

Inteligência

Fala de ecologia, com uma pena mordaz, faz críticas ao sistema político e a burocracia estatal que persegue o homem do meio, conta sobre a estranha amizade de um alienígena com um terráqueo.

Epa, pera ai, o que tudo isso tem a ver com tecnologia? Ah padawan como sempre tão apresentado interrompendo meu divagar. Este livro foi escrito na década de 70 do século passado, baseado em um programa de Radio da BBC por Douglas Adams.

E pasme, podemos chamar Douglas Adams como o pai do Google, Yahoo e todos os motores de busca que existem, é muita responsa? Sim, mas verdadeira e justa homenagem, afinal inspirado nas antigas enciclopédias, ele pensou num artefato eletrônico no formato de um tablete, onde o viajante recebia informações sobre qualquer assunto.

E um dos personagens era free-lance da editora, viajando pelo Universo e obtendo informações sobre novos verbetes, conhecendo e explorando novos mundos para atualizar o Guia do Mochileiro da Galáxia e curtir a vida nesse meio tempo.

Fazendo uma homenagem a segunda criatura mais inteligente do Sistema solar: Os golfinhos, que nos agradecem pelas sardinhas recebidas e se mandam da Terra, antes dela ser destruída, para poderem passar uma hiper via intergaláctica, mas chega de spoliers, será?

Ecologia

Douglas Adams elogia as belezas de nosso planeta, fala sobre a poluição e desmatamento, das alterações climáticas e vários problemas que nossa casa esta passando, e como vingança poética destrói a Terra, não uma, mas inúmeras vezes no decorrer da única trilogia de livros com 5 livros.

Conta sobre a construção, desconstrução, cachalotes e vasos de plantas. Explora de maneira tentadora religião e pilantrices, inteligência e oportunismo, uma caricatura sobre racismo, ditaduras, povos e civilização.

Afinal temos a resposta, para a pergunta fundamental sobre o universo, a vida e tudo mais.

42

Misturada com um senso de humor único, Douglas nos conta sobre uma avançada civilização que tem um dilema moral, que resulta numa questão, que assola este povo há milênios. As melhores e maiores mentes construíram um super-computador, que processando por centenas de anos da a resposta 42.

E com isso começa a confusão das confusões. Que não irei revelar ao jovem e preguiçoso padawan, terá que ler o livro para descobrir.

Por que 42? O que tem de magico? Que leva nosso amigo, o principal personagem do livro a viajar pelo Universo, a bordo da nave espacial, mais moderna que usa como motor um gerador de improbabilidade infinita, que produz qualquer coisa mesmo, e por isso permite viajar para qualquer lugar.

Inclusive permitindo visitarem o restaurante no final dos tempos, onde eles podem assistir o final e o começo do universo, apreciando o End Bang e em seguida vendo Bing Bang.

Robot , Viagem espacial, Tradutor

Ah jovem padawan que delicia de livro, que já foi programa de radio, jogo de videogame, serie televisa e filme de hollywood. Adams inventou tanta coisa, acontece coisas únicas e absurdas, aparecem inúmeros de habitantes do universo e criam-se as coisas mais confusas e insanas.

Falar sobre um robot que sofre de depressão, de um presidente intergaláctico louco e bizarro que rouba o Coração de Ouro e ao mesmo tempo entra de penetra em uma festa a fantasia em Londres.

Fala sobre o parasita mais fabuloso do universo, o peixe Babel, que se alimenta de ondas cerebrais e retribui traduzindo qualquer idioma da Galáxia, vivendo alojado dentro do pavilhão auditivo e sendo muito útil.

Fala sobre portais estilo buraco de minhoca, salvação no ultimo segundo, perseguição e malandrice. Pense no maior computador alguma vez já criado e seu poder computacional além da imaginação e que constrói um computador além disso.

Divague sobre a construção de planetas e sua destruição, apenas para satisfazer a curiosidade alheia, malditos ratos, malditas questões e a viagem prossegue, gerando ainda mais trafulhices e balburdias.

Nosso amigo Arthur vive uma vida nômade, perdido em viagens do espaço tempo, encontra seu robôt amigo, após eras perdidos, nossa tanta coisa para falar e tao pouco tempo para la chegar.

A Toalha.

Deixei para o final desta nossa pequena jornada vamos citar a toalha, o item mais importante que um mochileiro deve ter, afinal sem ela, você está lascado meu jovem padawan, podes fazer tanta coisa, e por acaso o dia 25 de Maio, se me acompanha o Tiozao aqui há quase duas décadas sempre publica fotos com a toalha em lugares exóticos e únicos, minha pequena homenagem a Douglas Adams.

Vamos com calma e veja por que a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro das galáxias porque, entre outras funções, pode ser usada como agasalho quando se atravessa luas frias, quando molhada vira uma arma de combate corpo a corpo, enrolada em torno da cabeça ela protege a pessoa de emanações tóxicas e pode até servir para enxugar o corpo - se estiver limpa o suficiente. Porém, segundo o autor, o mais importante é a segurança psicológica que a toalha dá ao mochileiro. 

Se a leva com ele, também conclui que tem tudo o que precisa, como escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, bússola, mapa, barbante, capa de chuva e traje espacial. Para Adams, se o viajante é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar com os obstáculos, superar todos os infortúnios e ainda assim souber onde está sua toalha, ele é alguém que merece respeito.

E de coração Douglas Adams merece meu mais profundo respeito, que cara fabuloso que nos deixou tão cedo e produziu tantas ideias mirabolantes e foi um pioneiro no mundo da informática.








0
0

Comentários (2)

1
Vagner Bellacosa

Vagner Bellacosa

10/07/2021 22:48

Amigo Gilberto, vale a pena conhece-lo, foi um grande homem e fabuloso escritor.

2
GILBERTO DAMACENA

GILBERTO DAMACENA

10/07/2021 21:44

Show de bola, particularmente sou ignorante sobre ele (Douglas Adams) como escritor (e até mesmo comediante). Mas agora fiquei curioso para sabre mais. Parabéns pelo artigo, e obrigado por mais um conhecimento agregado.

Analista Programador dinossauro IBM Mainframe

Brasil