2

Conheça as diferenças entre publicar um Artigo e um Post

⚡Eros Lima
⚡Eros Lima

Introdução do tema:


Independente do seu objetivo, seja encontrar uma nova oportunidade, gerar leads, promover sua marca, ampliar sua liderança em seu setor, encontrar talentos ou parceiros de negócios, o LinkedIn é a rede social onde você encontrará os maiores líderes e influenciadores de negócios do mundo. Uma forma de estabelecer valor, construir sua marca pessoal e impactar positivamente esses profissionais é através da publicação de conteúdo no LinkedIn/Medium/Blogs/ou Aqui na DIO.





Porém, todo processo de conteúdo começa quando o usuário se depara com duas opções, "publicar uma postagem" ou “Escreva um artigo”. Mas qual opção usar?





Você sabia que existe uma GRANDE diferença entre uma Postagem (post) e um Artigo?

Acredite, antes de sair compartilhando, você deve conhecer as diferenças para tirar o maior proveito de cada formato.




Quando devo postar e quando devo escrever um artigo?



De forma resumida, você deve escolher fazer uma Postagem quando você deseja publicar um breve comentário, atualizar sua rede sobre algo, publicar uma foto/vídeo, link ou uma notícia. Você vai dispor de 1300 caracteres para desenvolver a postagem, desses 236 são visíveis no feed e mais 1064 ficam visíveis quando o usuário clica em “...visualizar mais”.



  • Quer ir além dos 1300 caracteres? Deseja fornecer uma abordagem completa sobre o assunto? Então você deve escrever um artigo. O artigo não possui limite de caracteres e vai permitir explorar melhor o assunto. Para enriquecer seu conteúdo você dispõe de um editor de texto no qual poderá aplicar estilos, inserir imagens, links e incorporar outras mídias.



Parece simples, mas muitos usuários erram ao publicar um artigo com apenas dois parágrafos. Imagina a frustração de alguém que esperava ter um conteúdo completo e apenas perde seu tempo ao ser redirecionado para uma página com conteúdo raso.


Porém, se limitar apenas a esse aspecto pode ser simplista de mais. Então precisamos continuar analisando melhor as características, vantagens e desvantagens de cada formato.





Qual o melhor formato? Qual deles posso obter a melhor performance?



Para responder essa pergunta é necessário primeiro saber qual o seu objetivo ao compartilhar o conteúdo e qual estratégia você pretende adotar. Para tanto precisamos analisar os seguintes aspectos:



Tempo de vida


A postagem é uma atualização curta que é exibida no feed de notícias, com o passar do tempo ela deixará de ser relevante para o algoritmo em consequência não será mais exibida para a sua rede. Já um artigo é parte integrante de seu perfil.


Uma nova conexão ou um headhunter dificilmente conseguirá achar sua postagem de meses atrás, porém seus artigos publicados há anos podem ser facilmente encontrados através de seu perfil ou dos artigos relacionados através de seu último artigo publicado.



Autoridade


A melhor forma de compartilhar conhecimento e demonstrar seu domínio é através dos artigos. Ao escrever uma abordagem completa sobre determinado tópico você está criando uma relação de autoridade sobre aquele assunto para o leitor.



Visibilidade


Os artigos fazem parte do conteúdo público de um perfil, dessa forma, tanto usuário logados no LinkedIn quando visitantes espontâneos podem acessar seus artigos. Outro benefício de ser um conteúdo público é que ele permite a indexação pelo robô do Google, então você pode esperar visitas de usuários que estavam pesquisando no Google o que vai aumentar ainda mais sua autoridade sobre aquele assunto.



No Google quando procuramos por "Como escrever artigo no Linkedin" recebemos como resultado o artigo do Rodrigo Brancatelli com o título "As melhores dicas para você escrever artigos no LinkedIn e deixar a sua marca".

Já as postagens mesmo que configuradas como “público” são limitadas aos usuários logados no LinkedIn e não permitem indexação por robos de busca.




Potencial multiplataforma


Imagine o quanto você pode otimizar seus resultados ao unir diferentes redes sociais e ferramentas para potencializar seu relacionamento com seus clientes .


Agora que sabemos que artigos são públicos, podemos compartilhar eles no Facebook e eles vão gerar um preview com imagens e títulos corretos e o melhor os usuários nem precisam sair do aplicativo do Facebook para lerem seus artigos. Já as postagens vão gerar um preview nem um pouco atrativo e vão limitar o acesso apenas aqueles que estão no LinkedIn.




No exemplo acima utilizei o artigo escrito pelo Cristiano Santos, no primeiro box compartilhei diretamente o link do artigo, já no segundo box compartilhei o link de uma postagem dele sobre o artigo e o resultado é deprimente.


Vamos explorar esse potencial um pouco mais? Digamos que você é um consultor e possui um site pessoal que recebe a visita de potenciais clientes, você decide publicar um artigo no Linkedin que pode te ajudar a vender seus serviços. Com a possibilidade de gerar um preview amigável no Facebook, você pode fazer uma campanha do tipo pixel de acompanhamento para exibir seu artigo do LinkedIn para esses usuários que já visitaram seu site.



Alcance


As postagens são exibidas naturalmente no feed do LinkedIn e suas conexões podem ter acesso a sua totalidade sem precisar de redirecionamento para outra página, o que aumenta o alcance orgânico deste tipo de publicação. Enquanto um artigo deverá ser compartilhado no feed e para ter acesso ao seu conteúdo é preciso clicar sobre o link e ser redirecionado para outra página. Porém, há uma grande diferença na contabilização das visualizações.



- Postagem: quando você compartilha um post, uma "visualização" é contada quando a atualização é carregada na tela do usuário. Independente se o usuário realmente leu ou não a publicação.



- Artigos: o usuário deverá necessariamente tomar a iniciativa de acessar o artigo para que seja contabilizada uma visualização.

Desta forma podemos concluir que as postagens possuem um maior alcance orgânico (mais visualizações), porém artigos possuem um alcance mais qualificado e real.



Engajamento                                               

Como as postagens estão disponíveis totalmente no feed há uma maior possibilidade de engajamento inicial, já que o usuário precisa apenas escrever algo no box de comentários ou usar as ações de curtir e compartilhar. Os artigos são formatos mais longos, que demandam um maior tempo do usuário para leitura e em consequência podem ter um engajamento inicial menor. A grande diferença do engajamento será a longo prazo, as postagens duram alguns dias e logo são ocultadas pela chuva de novas postagens, já os artigos estão vinculados a seu perfil com um potencial grande para novas conexões e visitantes. 


  • Agora que você sabe a diferença entre esses dois tipos de publicação de conteúdo poderá usá-las corretamente em suas estratégias para aumentar sua exposição, seguidores e conexões.
  • Gostou desse artigo e acredita que ele pode ajudar um amigo? Compartilhe-o com a sua rede.





Autor: #Fábio_Reis (não sou o author)


Fundador e Editor do Pfarma. Possui registro profissional como Jornalista (MTB 39014/RJ) e Farmacêutico (CRF-RJ 14376). Possui mais de 9 anos de experiência com Comunicação e Marketing. Atuando por mais de 12 anos no setor farmacêutico. 



Para mais artigos e postagens acesse o linkedIn -https://www.linkedin.com/in/fabiolreis/

4
42

Comentários (4)

1
Isis Teixeira

Isis Teixeira

23/03/2021 06:00

Olá, Eros! Seu artigo me chamou atenção e gostei bastante de lê-lo. Apesar de achar que sabia a diferença, você trouxe uma abordagem bem legal, com pontos que eu desconhecia. Parabéns!!

1
William Lopes

William Lopes

23/03/2021 16:57

Artigo muito interessante. Fábio Reis explicou muito bem o assunto. Obrigado por compartilhar.

1
Sérgio Junior

Sérgio Junior

23/03/2021 08:28

O alcance das publicações com o correto uso das redes sociais pode realmente trazer excelentes resultados.

Muito bom o artigo.

1
Isaias Bueno

Isaias Bueno

23/03/2021 06:40

Obrigado por compartilhar esse artigo! excelente!

Fullstack Developer👨‍💻- JavaScript | React.js | Next.js | Angular | Node.js | Python | .NET | C# | Scientific Researcher | DevSecOps | Cyber Sec. Enthusiast

Brasil