0

A melhor hora para mudar de profissão?

André Lopes
André Lopes
“Quando é a hora certa para mudar de profissão? Será que já não é tarde demais? Deveria ter começado isso antes? É certo largar uma carreira avançada, estável e que paga muito bem para investir em uma nova jornada do zero?”

 

Essas perguntas não paravam de invadir os meus pensamentos ao longo de todo o ano passado, quando tomei a decisão de começar a investir em uma nova carreira. Eu hoje sou Supervisor de ROV, e ROV (Remotely Operated Vehicle) é basicamente um robô eletro hidráulico pilotado remotamente, a partir de um cockpit instalado num navio especial ou plataforma de petróleo. Trabalho em uma escala offshore, 2 semanas embarcado no mar e 2 semanas de folga (4x4 semanas agora, por conta do covid-19), atendendo principalmente às demandas das grandes operadoras de petróleo nos campos subsea, mas também realizando pesquisas biológicas, mapeamento de solo marinho e até mesmo caça a naufrágios (e até mesmo “tesouros”). O ROV é equipado com câmeras HD e 4k, inúmeros sensores e dispositivos e usamos até mesmo o mesmo braço robótico que a NASA usa, num sistema de Master & Slave, onde atuamos o controlador Master na superfície e o braço Slave realiza exatamente o mesmo movimento nas profundezas do mar, a até 3000m de profundidade.

 

É um trabalho fascinante na minha opinião. Consegui um ótimo destaque na minha empresa a nível mundial, pois desenvolvi uma série de documentos técnicos que melhoraram a eficiência e qualidade do nosso trabalho, inclusive o Manual Global de Manutenção Preventiva. Fui convidado a participar do time de Suporte Técnico para as Américas. Olho para trás e para tudo que conquistei com muito orgulho, mas olho para frente e tenho outras ambições.

 

Sempre fui apaixonado por programação, desde muito novo, era meu sonho seguir nessa área. Aos 18 anos, quando me formei técnico em eletrônica, fui recrutado pela maior empresa de serviços de petróleo do mundo e mergulhei neste novo universo, um universo muito bem pago por sinal. A partir daí eu mudei totalmente meu foco e segui um caminho diferente de estudos.

 

Hoje, aos 29 anos, estou decidido a voltar a correr atrás do meu sonho, quero ser um desenvolvedor Mobile e Web. Estou fazendo uma graduação em Engenharia de Software e estou mais do que decidido a mudar de área, a recomeçar do zero, a largar uma carreira e um cargo de Supervisor para voltar a ser Júnior, Trainee ou até mesmo Estagiário. Me dá medo? Bastante! Mas esse medo me motiva ainda mais, me empolga ainda mais, esse medo é meu aliado.


Por algum tempo eu achei que esse meu tempo fora da programação tivesse sido perda de tempo. “10 anos desatualizado, não sei mais nada, esqueci tudo! Tudo mudou!” Mas hoje eu vejo diferente. Hoje eu me vejo como um aprendiz de desenvolvedor, mas que tem uma bela visão de mundo, que trabalhou com inúmeras culturas, em países diferentes, confinado em um navio pequeno por semanas, e que viveu e acumulou muitas experiências. Sei que cada operação submarina, cada tomada de decisão, cada manutenção, e até mesmo cada nascer do sol no mar e cada criatura diferente que eu vi, somam e me tornam um desenvolvedor melhor. Nós nunca deixamos uma carreira para trás, pois ela sempre irá nos acompanhar onde quer que estejamos.

 

E vocês, também têm esse medo da mudança? Também estão “deixando para trás” uma carreira? Como foi essa decisão? Por quê? Quais conhecimentos trazem consigo da vivência e da carreira para desenvolvimento de software?

 

Gostaria muito de ouvir/ler um pouco da história de cada um de vocês aqui!

 

Um forte abraço e desejo muita sorte e disciplina para todos nós nesta jornada.

0
0

Comentários (3)

0
Davi Clemente

Davi Clemente

12/05/2021 10:05

Estou me formando na área de História e atualmente dou aulas no interior de Alagoas, eu tenho esse mesmo medo e olha que minha carreira nem chega aos pés da sua, mas me ajudou a olhar para minha situação e perceber que não deveria ter medo de mudanças, tenho 22 anos e espero que minha experiencia da vida me ajude a progredir em um novo ramo que me dará uma vida melhor no futuro.

0
André Lopes

André Lopes

11/05/2021 10:37

Fala Robson! Tudo ótimo por aqui, espero que você também.


A sua história não é bacana, ela é inspiradora! Sempre se reinventando e nunca deixando de correr atrás dos seus sonhos. Meu sentimento é que realmente a área de desenvolvimento é muito democrática, ela recebe e abraça a todos. Estou torcendo muito aqui para que você consiga de fato se realizar nesse meio e alcance muito sucesso nessa jornada.


Se precisar de qualquer ajuda, também sou iniciante, mas pode contar comigo! E se quiser trocar alguma ideia sobre esse ramo do petróleo, estou disponível também.


Forte abraço meu camarada!

0
Robson Garcia

Robson Garcia

11/05/2021 09:35

Bom dia André, tudo bem? Poxa, bacana sua história de vida!

Sempre quis trabalhar na área do petróleo, desde meus 23 anos, fiz muitos concursos da Petrobras, sem sucesso. Sou técnico em eletrotécnica, mas meu primeiro emprego foi em telecomunicações, fiquei cinco anos e meio nessa área; depois veio o desemprego, não estava conseguindo nem na área que formei. Trabalhei como autônomo muitos anos, pois já tinha um apartamento financiado, que comprei com minha namorada, hoje minha esposa. Trabalhei com banca de revista, dirigindo uma Kombi transportando pessoas, depois comprei uma van, trabalhei com Uber e 99pop e em dezembro de 2019 consegui o almejado emprego na minha a área de formação, veio a pandemia e em agosto do ano passado perdi o tão sonhado emprego. Minha família estava na roça, perto de Belo Horizonte mantendo um pouco a distância da pandemia, fui ficar com eles e estou lá até então. Desde 2016 estou fazendo o curso superior de engenharia de transportes, meio que aos trancos e barrancos, continuo desempregado, mas vi na programação uma luz no fim do túnel; não falei, mas antes de começar o curso em que me formei técnico, havia o de técnico de informática, que queria muito pois a área sempre me atraiu, mas não consegui alcançar a nota para entrar no curso. Hoje aos 51 anos me enveredo nessa aventura da mudança de área que tenho abraçado com unhas e dentes, na perspectiva de dias melhores para o meu futuro profissional e bem estar para minha família.

Estamos juntos nessa jornada.

Fica com Deus.

Abraço

Estudante de Engenharia de Software | Suporte Técnico e Supervisor de ROV, um submarino robô remotamente operado.

Brasil