0

5 dicas para encarar a tão sonhada e temida Transição de Carreira

#Desperte o potencial
Ana Fiori
Ana Fiori

Mudar de carreira não é fácil. São tantas dúvidas, tantas incertezas...


Eu passei por uma transição de carreira recentemente. Saí da área editorial e fui para desenvolvimento. Vi muitas aulas, palestras, vídeos, cursos, conversei com pessoas, recebi muitas dicas legais, quase desanimei em alguns momentos, mas persisti e aprendi muita coisa com as minhas experiências.


Trago hoje 5 dicas que podem ajudar quem está nesse começo de transição de carreira.


1 – Nunca é tarde para recomeçar


Recomeçar do zero em uma nova carreira dá medo, principalmente quando não somos mais tão jovens. E eu não vou mentir, é difícil mesmo e às vezes leva tempo. Mas vale muito a pena.


Muitas empresas ainda têm preconceito com pessoas com idade um pouco mais avançada procurando emprego como júnior ou estagiário. E nem precisa ser tão velho, eu passei por isso com 30 anos quando procurava estágio como desenvolvedora. Cheguei a ouvir do dono de uma empresa que ele só contratava jovenzinhos de 18 anos e que, por causa da minha idade e bagagem anterior, eu não tinha perfil para desenvolvedora. Sabem o que eu fiz? Fui embora da empresa dele e depois consegui um emprego muito melhor!


A minha dica é: fuja dessas empresas e não desista. Empresas (e pessoas) assim sempre vão existir, mas também existem muitas outras dispostas a dar uma chance para todos que estão interessados, independente da idade. E, em muitos casos, a experiência anterior pode contar como um diferencial.


Você ainda tem muitos anos pela frente, e por que não aproveitá-los fazendo algo que você gosta? Daqui a 5 anos, você vai olhar para trás e ver que todo o esforço valeu a pena.



2 – Nunca deixe ninguém dizer que você não pode fazer algo


Ninguém além de você sabe da sua real capacidade. Se você quer fazer algo, faça!


Não é porque você se formou na área de humanas, por exemplo, que não tem capacidade para mudar para a área de exatas. Se está com dificuldade, estude muito, procure outras fontes de informação, procure a ajuda de professores, colegas, comunidades na internet ou de qualquer um disposto a ajudar (tem muita gente por aí).


E se alguém disser que você não pode, que é muito velho, que não tem experiência ou que não consegue, não desanime. Muitas pessoas que criticam os outros se baseiam nelas próprias, elas têm medo de mudanças e acham que não teriam capacidade para isso então falam para os outros que eles também não conseguem. Use isso como um desafio, corra atrás, estude, peça ajuda sempre que precisar e depois mostre para todos que você é capaz sim! Acredite em si mesmo!


3 – Escolha algo que você realmente goste


Você tem certeza de que quer fazer isso para o resto da sua vida? Não? Não se preocupe, isso é normal! E se você está mudando de carreira, deveria saber bem disso. Em um momento, você acha que quer fazer determinada coisa para sempre e, alguns anos depois, tudo muda, você muda, e mudar é normal, afinal estamos sempre evoluindo e aprendendo.


Preocupe-se apenas em escolher algo que você goste e tenha vontade de fazer. Por exemplo, se você não gosta de passar várias horas sentado na frente do computador, talvez a área de desenvolvimento não seja a ideal para você.


Lembre-se de que você está iniciando, e isso significa que terá que estudar muito, então nada melhor do que se sentir bem fazendo algo que você goste. Afinal, você não quer sair de uma área para ir para outra que você odeia.


4 – Estude muito. Sempre!



Para iniciar em qualquer área, o mais importante é: estudar.


Normalmente quem está em transição de carreira tem um pouco de pressa para iniciar e conseguir um emprego para poder pagar as contas. Mas aqui não há atalhos, é preciso estudar muito, quanto mais, melhor.


Aproveite todo tempo livre que você tiver para estudar. Só tem 15 minutos? Use esse tempo para ler alguma coisa teórica sobre o que você está estudando. No final, você verá que esses minutinhos diários fazem diferença.


Além disso, não fique esperando aulas e materiais caírem no seu colo. Vá atrás da informação, procure cursos, livros, vídeos e materiais diversos. E se não puder pagar, não tem problema, tem muito curso e material gratuito e de ótima qualidade disponível, como os Bootcamps da DIO.


E o mais importante: pratique! Não adianta muita coisa só ler e ver vídeos sem colocar em prática. Programe! Além de fixar melhor o conteúdo e aprender mais, ainda ajuda a montar um portfólio.


Além disso, tenha em mente que quem está entrando na área de desenvolvimento nunca poderá parar de estudar. A cada dia surge uma nova tecnologia, um novo recurso, etc., e para se manter atualizado, você terá que acompanhar as novidades. Ou seja, estudar sempre!


5 – Não queira abraçar o mundo todo, foque seus estudos


Quando estamos começando os estudos numa área, é normal fazermos vários cursos mais gerais sobre tudo. Isso é recomendado para se ter um conhecimento geral sobre a área e para conhecermos as possibilidades dentro dela, para que tenhamos condições de decidir com qual nós mais nos identificamos e gostamos.


Mas não adianta querer passar muitos anos estudando só o básico de tudo e não se aprofundar em nada, assim como não adianta querer se aprofundar em tudo, porque isso é humanamente impossível, e você vai acabar não se aprofundando em nada e se frustrando.


Por isso, depois de fazer os cursos introdutórios e básicos, você precisa escolher com qual área/linguagem você mais se identifica. Você gostou mais de back-end ou de front-end? Se deu melhor com C#? Ou Java? Ou Javascript? Escolha um e foque. Assim fica mais fácil de estudar, de se aprofundar nos conceitos e de conseguir um emprego.


E, depois que você aprender bem uma linguagem, fica muito mais fácil estudar as outras, pois muitos conceitos são parecidos.



Dica bônus – por onde começar a estudar


Se você está iniciando seus estudos de desenvolvimento agora e não sabe por onde começar, deixo algumas dicas de coisas básicas e importantes para você estudar antes de escolher em qual você quer focar:


  • HTML e CSS
  • Lógica de programação (de preferência já aplicada a uma linguagem, como C#, Java ou Python)
  • Básico de Javascript
  • Git e GitHub (não importa qual linguagem você for escolher, você precisará disso)


E você, está passando ou já passou por uma transição de carreira? Tem mais alguma dica? Deixe nos comentários.


E se quiser entrar em contato para conversar mais sobre transição de carreira, me adicione no Linkedin.

3
56

Comentários (3)

0
Massilene Pereira

Massilene Pereira

25/03/2021 11:24

Excelentes dicas. Obrigada por compartilhar.

0
M

Mikhail Bispo

24/03/2021 15:10

Excelentes dicas.

Em breve colocarei em pratica essa dicas..

0
Liliane Balles

Liliane Balles

24/03/2021 14:45

Sou desenvolvedora back-end júnior, confeiteira por hobby e mãe de 2 gatos. Passei por uma transição de carreira recentemente.

Brasil